Decreto cria escola de música que vai homenagear Arthur Maia

Anderson Carvalho

Quem passa pela Rua Maestro Felício Toledo, nº 474, no Centro, quase em frente ao Conservatório de Música de Niterói, vê uma casa antiga, de dois andares, em estilo eclético romântico e em péssimo estado de conservação. Uma moradora de rua estendeu suas roupas no andar térreo do prédio. É a Casa Norival de Freitas, construída em 1921 e que foi residência do advogado e político Norival de Freitas. Embora esteja listada como centro cultural da cidade, nunca foi usado como este fim. Está abandonado desde 1974. Agora, passou para a responsabilidade da Fundação de Arte de Niterói. Ela será restaurada e vai abrigar a Escola de Música Arthur Maia, além de servir de sede para o Programa Aprendiz Música na Escola.

Um decreto do prefeito em exercício, Paulo Bagueira, publicado ontem no Diário Oficial, subordina o imóvel à FAN. Até então, ela estava sob a responsabilidade da Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia e vinculada à Fundação Municipal de Educação. Segundo a FAN, no momento uma equipe sob o comando do restaurador Cláudio Valério Texeira faz o levantamento de todo o trabalho de recuperação que a Casa Norival de Freitas precisar. O projeto de restauro completo está previsto para ser entregue em 60 dias para a Fundação de Arte de Niterói, quando será licitada a obra no local.
Ainda não há previsão de quando a escola será inaugurada. O Programa Aprendiz Música na Escola funciona na Rua Saldanha Marinho, na esquina com a Rua Visconde de Sepetiba. Segundo a FAN, a presença de uma escola de música no bairro do centro vai potencializar a região.
A revitalização do prédio é promessa antiga, feita por vários prefeitos nas últimas décadas. Seu interior é decorado com pinturas, revestimentos importados, caixilhas de vidros coloridos e ainda azulejaria e serralheria art novau. A escada de acesso e estrutura das varandas são de ferro fundido. Sobre a sacada, encontra-se a inscrição “Notre Rêve” (nosso sonho). Desapropriado pela Prefeitura em 1979, foi parcialmente destruído por incêndio em 1984.

Homenagem – Arthur Maia faleceu em 15 de dezembro passado, aos 56 anos, após sofrer uma parada cardíaca. Conhecido por ter sido baixista do cantor Gilberto Gil, acompanhou ainda, ao vivo, artistas como Ivan Lins, Luiz Melodia, Gal Costa, Lulu Santos, Jorge Benjor, Djavan e Ney Matogrosso. Também gravou com Ana Carolina, Caetano Veloso, George Benson, Marisa Monte, Mart’nália, Roberto Carlos, Seu Jorge, Dominguinhos, entre outros.

Em 2013, a convite do prefeito Rodrigo Neves, assumiu a Secretaria Municipal de Cultura, cargo que ocupou até o final de 2016.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *