Declaração do presidente da Câmara reduz a zero impeachment de Bolsonaro

Em declaração dada nesta terça-feira (6) à imprensa, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), reforçou que não há justificativa para dar andamento a um processo de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro, mesmo com a abertura de investigação da Procuradoria-Geral da República (PGR), ocorrida na semana passada.

“Não podemos institucionalizar o impeachment no Brasil, temos de aprender a discutir esses assuntos com muita seriedade”, declarou o presidente da Câmara à rádio Jovem Pan. Para ele, o País “não pode ser instabilizado politicamente a cada presidente que é eleito”, declarou Lira, que também afirmou que a abertura de um processo neste momento “desestabilizaria a economia e pararia o Brasil”.

Na semana passada, o presidente da Câmara recebeu um ‘megapedido’ de impeachment firmado por diversos partidos de oposição, movimentos sociais e representantes do centro e direita, inclusive ex-bolsonaristas como o deputado Alexandre Frota (PSDB-SP) e Joice Hasselmann (PSL-SP). O documento alega que Bolsonaro cometeu crime de prevaricação ao não determinar a apuração das suspeitas de irregularidades na compra da vacina Covaxin,

Lira avalia que “neste momento, não há nenhum fato novo que justifique e que tenha alguma ligação direta com o presidente da República”. O fato de “algum parlamentar ter dito que entregou um documento” a Bolsonaro “não justifica”, a abertura do processo de impedimento, ressaltou o deputado. Além disso, ele afirma que os trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid trouxeram “realidades” que já estão sendo investigadas pela comissão.

“A presidência da Câmara tem o papel de atuar com imparcialidade e neutralidade e vai esperar o desenrolar dos acontecimentos”, afirmou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.