Curta temporada de Violetas na Janela no Teatro AMF

O espetáculo “Violetas na Janela” faz parte da retomada das temporadas teatrais na cidade de Niterói. Com três únicas apresentações em abril (dias 8, 9 e 10), a peça, que já é um sucesso desde sua estréia em 1997, é protagonizada pela atriz Ana Rosa – que também fez a adaptação do texto – e será encenada no Teatro AMF, em Icaraí. A direção é de Ana Rosa e do ator Guilherme Corrêa.

Baseada no livro homônimo de Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho, “Violetas na Janela” trata da vida após a morte, a partir do desencarne de Patrícia. Tudo com uma leveza e toques de humor que se encarregam de dar graça ao espetáculo. A trilha sonora foi composta especialmente por Claudio Suísso e os vinte atores que se revezam em cena são mais um atrativo para o público.

O tema reencarnação causa bastante interesse no publico. O cinema americano nos brindou com filmes como “Ghost” “O sexto sentido” e “Os outros”. A televisão brasileira também abordou a mesma temática em novelas como “A Viagem”, “Almas gemas”, “O profeta” e “Amor, eterno amor”. Esse talvez seja um dos motivos do grande sucesso da peça teatral “Violetas na Janela”.

Quem de nós já não passou pela dor da perda de uma pessoa querida e não se sentiu compelido a refletir sobre a existência da vida após a morte? “Violetas na janela” mostra com simplicidade as experiências de Patrícia, uma garota que desencarnou aos dezenove anos e acordou numa Colônia Espiritual onde a vida continua. Fala de suas descobertas, dúvidas, necessidades, da busca pelo autoconhecimento, seus receios, afetos, seus amores. Uma Colônia onde há hospitais, escolas, teatros, meios de transporte, bibliotecas, onde a tecnologia avançada convive em harmonia com a natureza, os homens, os animais. Um lugar onde é respeitado o livre arbítrio e a justiça reinante é a do amor.

Mas, no nosso Universo infinito, também existem outros lugares mais e menos felizes. Para qual deles nós iremos após a morte do corpo, só depende de nós mesmos; do que e de como estamos fazendo aqui e agora. Estamos em plena era da revolução da consciência e o homem continua sua busca incessante no sentido de ampliar sua capacidade de percepção e atingir sua unidade básica, pessoal e direta com Deus.

Nos três dias a peça será apresentada às 18h. Os ingressos custam R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia entrada para estudantes, idosos e quem levar 1 Kg de alimento não perecível). O Teatro AMF fica na Av. Roberto Silveira, 123 em Icaraí. Mais informações pelo telefone (21) 2710-1348.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.