Curta gravado em Niterói estreia em festival internacional realizado no Rio

Dos dias 3 a 10 de novembro, acontece a 31º edição do Festival Internacional de Curtas-Metragens do Rio de Janeiro, também conhecido como Curta Cinema. E entre os curta-metragens que vão participar do evento, Niterói será representada pelo documentário “Henriqueta”, da diretora, jornalista, cineasta e artista visual, Anna Azevedo.

A obra conta a história de Henriqueta Henriques, mais conhecida como Dona Henriqueta, uma personagem muito querida na cidade. Seu restaurante, Gruta de Santo Antônio, existe desde os anos 1970 na Ponta da Areia. O curta-metragem, de 30 minutos, no entanto, revela outra faceta de Henriqueta: a sua vida privada repleta de gestos de poesia e de paixão. É sobre uma história de amor na terceira idade e além-mar, inspirada nas páginas do diário de Dona Henriqueta.

Anna, que cresceu na Cidade Sorriso, com vinte anos de carreira dedicados ao audiovisual, também lança em dezembro, o longa “Saudade do Futuro”, também premiado no Edital de Audiovisual de Niterói, rodado no Brasil, em Cabo Verde e em Portugal.

 “Como conheço bem a cidade e os arredores, sempre que posso uso Niterói e também Maricá como meus sets. Aqui, tenho paisagens frescas, que o público não está acostumado a ver nas telas. Essas imagens viajam o mundo, nos festivais, e sempre me perguntam ‘que lugar incrível é aquele’?’’, disse a diretora.

As produções foram possíveis graças a um edital da Secretaria Municipal das Culturas e da Fundação de Arte de Niterói que, ainda em 2018, disponibilizou R$ 2,1 milhões para a produção de quatro longas-metragens: um de ficção e três documentários, além de dez curtas, e produtos para TV, entre séries e telefilmes. 

“A política de editais financia, com transparência, um conjunto amplo de atividades que gera empregos para trabalhadoras e trabalhadores da Cultura, movimenta a economia e aquece o coração das pessoas da cidade. É lindo ver um trabalho como “Henriqueta” valorizando a memória local e imortalizando personagens de nosso cotidiano. A Cultura é um direito da população e os editais públicos são um mecanismo para fortalecer este processo”, enfatizou o Secretário Municipal das Culturas, Leonardo Giordano.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez − quatro =