Cultura divulga representante brasileiro na disputa ao Oscar

O Ministério da Cultura (MinC) divulgou, nesta segunda-feira (12), na Cinemateca Brasileira, a indicação de Pequeno Segredo, do diretor David Schurmann, para concorrer a uma vaga na categoria Melhor Filme em Língua Estrangeira no Oscar 2017.

O longa, escolhido entre 16 títulos nacionais, foi selecionado por uma comissão especial formada por nove integrantes especialistas no setor audiovisual. A quantidade de filmes inscritos é reflexo do momento atual do cinema brasileiro, que, em 2015, igualou a quantidade de títulos lançados em 2013. O Ministério da Cultura parabeniza todos os inscritos e deseja sorte ao escolhido.

Pequeno Segredo passará agora pelo processo seletivo da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, que selecionará os cinco indicados ao prêmio de Melhor Filme em Língua Estrangeira. A 89ª cerimônia do Oscar está marcada para 26 de fevereiro, em Los Angeles, nos Estados Unidos.

Com roteiro de Marcos Bernstein, o filme conta a história da família Schurmann, que vive ao redor do mundo a bordo de um veleiro, e têm suas vidas transformadas ao receber a menina órfã Kat. O brasileiro Marcos Bernstein também escreveu, ao lado de João Emanuel Carneiro, o roteiro de Central do Brasil (1998), de Walter Salles, vencedor do prêmio Sundance/NHK de roteiro e do Urso de Ouro de melhor filme no Festival de Berlim.

Já o diretor, David Schurmann, conta com 20 anos de experiência no mercado cinematográfico. Filho do meio da família Schurmann, já dirigiu filmes, séries para TV e filmes publicitários e é o CEO das empresas da família.

Filmado no Brasil e na Nova Zelândia, o filme traz no elenco e na produção nomes nacionais e estrangeiros, como os atores brasileiros Julia Lemmertz, Marcello Antony e Maria Flor; o peruano Inti Briones (fotografia) e a alemã Brigitte Broch (direção de arte).

Além de Pequeno Segredo, outros 15 filmes concorreram à indicação: Aquarius, de Kleber Mendonça Filho, Chatô – O Rei do Brasil, de Guilherme Fontes, Mais Forte Que o Mundo – A História de José Aldo, de Afonso Poyart, Nise – O Coração da Loucura, de Roberto Berliner, Campo Grande, de Sandra Kogut, Menino 23: Infâncias Perdidas no Brasil, de Belisário Franca, O Roubo da Taça, de Caíto Ortiz, A Despedida, de Marcelo Galvão, O Outro Lado do Paraíso, de André Ristum, Uma Loucura de Mulher, de Marcus Ligocki Júnior, Vidas Partidas, de Marcos Schechtman, Tudo Que Aprendemos Juntos, de Sérgio Machado, O Começo da Vida, de Estela Renner, A Bruta Flor do Querer, de Andradina Azevedo e Dida Andrade, e Até Que a Casa Caia, de Mauro Giuntini.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *