Cultura de Niterói se une para integrar o “Salvaguarda Digital:

MAC Niterói, Museu Janete Costa de Arte Popular e Solar do Jambeiro, se uniram para aderir  ao novo projeto “Salvaguarda Digital: Passaporte Ingá-Boa Viagem”, que tem a proposta de focalizar o desenvolvimento de um game capaz de mudar a forma como as pessoas se relacionam com os patrimônios culturais da cidade e seus territórios, sugerindo circuitos de visitação e interações por meio de realidade aumentada.

Primeiro projeto do arquiteto Oscar Niemeyer, o Museu de Arte Contemporânea (MAC), abriga a Coleção João Sattamini e recebe importantes exposições e eventos.

O Museu Janete Costa de Arte Popular, abrigado num casarão do século XIX, apresenta um rico acervo, exposições e programações que trazem a importância da Arte Popular. Janete Costa, uma das maiores pesquisadoras e especialistas em arte popular, viveu parte de sua vida, em Niterói.

O Solar do Jambeiro, antigo Palacete Bartholdy, construído em 1872, é tombado pelo IPHAN, desde 1974, e abriga a Coleção Campofiorito, além de promover atividades culturais diversas.

“Nós, do Mac, estamos muito animados com a criação do jogo e das possibilidades que ele nos dá. Um projeto que pensa o turismo cultural da cidade a partir do museu e abre um diálogo com as tecnologias, atraindo também um novo público jovem para o espaço”, explica Victor De Wolf, Diretor do MAC Niterói.

“Para nós da equipe do Museu Janete Costa de Arte Popular é um enorme privilégio ter o equipamento inserido dentro do projeto Salvaguarda Digital, pois acreditamos que, através do jogo eletrônico, iremos incentivar o  público a visitar os patrimônios da cidade de Niterói e explorar esses espaços culturais de uma forma mais rica e  ampliada”, afirma Daniela Magalhães, Diretora do Museu Janete Costa de Arte Popular.

Importante ressaltar que foram 10 projetos selecionados. Destes, 3 são do Sudeste, incluindo Niterói. Neste financiamento coletivo, para cada R$ 1 apoiado na campanha, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) investe mais R$ 2 no projeto, o que significa triplicar a arrecadação até ser atingida a meta inicial da campanha, que é de R$75 mil. Ou seja, é preciso arrecadar R$25 mil para ter êxito. A iniciativa é resultado de uma parceria com a Sitawi Finanças do Bem e a Benfeitoria, plataforma de financiamento coletivo que hospeda a campanha.

O jogo prevê tanto um tour virtual e imersivo, nestes espaços culturais, que pode ser feito à distância, quanto propõe aos visitantes um circuito na proximidade dos bairros dentro da lógica de passaporte cultural, onde cada patrimônio representa um ponto de check-in e os usuários colecionam ‘carimbos’ por onde visitam. Além disso, a novidade pretende utilizar recursos de realidade aumentada para expandir a experiência de fruição dos patrimônios, por meio dos smartphones dos próprios visitantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 + 18 =