Criminalidade cresce em Niterói no último ano

Pedro Conforte

“A sensação de insegurança está muito grande, temos que ficar presos dentro de casa enquanto os bandidos estão na rua”, lamentou Maria Lúcia da Silva. O medo da moradora de Niterói reflete os dados da criminalidade na cidade, em 2016 foram 3822 casos de roubos a transeuntes, mais de 10 casos por dia durante todo o ano, segundo dados do Instituto de Segurança Pública (ISP). Em 2015, 2925 casos foram registrados, um crescimento de mais de 30% em 2016.

De acordo com os dados do ISP, os roubos de rua ( somatório de roubo a pedestre, em coletivo e a celular) tiveram uma alta significativa, no comparativo de 2015 à 2016, um crescimento de quase 40%. Porém se análise for feita crime a crime, os números são ainda maiores. Em 2016 foram 391 roubos dentro de ônibus, um aumento de mais de 78%, se comparado aos 219 casos em 2015. Outro caso são os roubos de celular, que cresceram 73% ( passando de 456 casos para 807).

“Eu já tive meu celular roubado. Hoje em dia eu ando com dois na bolsa, um antigo para entregar em caso de um novo assalto e o meu mesmo, que fica escondido no fundo da bolsa. E está fora de questão usar celular na rua. Depois do primeiro assalto a gente acaba ficando meio apreensiva, sempre acha que pode acontecer de novo. Ficamos muito vulneráveis”, desabafou, Silvia de Oliveira, de 34 anos.

O número de mortes violentas também aumentou. Homicídios dolosos, quando há intenção de matar, cresceram cerca de 13%, pulando de 94 casos em 2015 para 107 em 2016. Em todo o Estado, é o maior número de mortes desde 2010. No ano passado, 5033 pessoas foram assassinadas.

Após a divulgação dos dados do ISP, governador Luiz Fernando Pezão declarou ontem que policiamento precisa ser reforçado para combater o aumento da criminalidade no Estado. Apesar disso, não afirmou como isso será feito, uma vez que admitiu não ter recursos para contratar mais policiais militares. O governador defendeu a vigilância das fronteiras do país e do Estado, com apoio do Governo Federal para frear a escalada da criminalidade.

São Gonçalo: mais de um assalto por hora em 2016
Em São Gonçalo, a segunda cidade mais populosa do Estado, a criminalidade explodiu em 2016. Os roubos à pedestres cresceram quase 82% se comparado aos 12 meses de 2015, uma média de 29 assaltos por dia. Mas a modalidade que mais aumento no ano anterior foi os roubos de carga. Enquanto 2015 foram 337 casos, em 2016 foram 786, um aumento de 108%.

Os casos de roubo de rua em São Gonçalo cresceram mais do que a média do Estado, houve um aumento de 39%, enquanto no Rio de Janeiro o crescimento foi de 35%. No caso de roubos de rua, São Gonçalo bateu um aumento de quase 80%.

“Já saio com o menor número de coisas possíveis. Não ando com mais de 20 reais, já fui assaltado pelo menos umas cinco vezes. Os assaltantes já não estão mais preocupados com a Polícia, assim que a viatura passa eles assaltam”, contou Arthur Silvestre, de 28 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 + 2 =