Cozinheiro reclama por ter que cozinhar a Bolsonaro e é preso no Rio Grande do Sul

Um funcionário de um hotel de Bento Gonçalves, no interior gaúcho, foi preso na quinta-feira (8) por reclamar em uma rede social que teria que cozinhar para o presidente Jair Bolsonaro. O profissional era o cozinheiro Eduardo Lazzari, que trabalha no Hotel Spa do Vinho e fez a queixa em uma rede social. Policiais federais prenderam o funcionário e os responsáveis pela agenda presidencial cancelaram o evento por razões de segurança. A notícia foi publicada pelo colunista Ricardo Noblat, do Metrópoles.

Lazzani foi liberado pouco depois, pediu desculpas publicamente e deletou suas redes sociais. A dona do hotel, que não teve o nome divulgado, se deslocou de Santa Catarina, onde mora, até Bento Gonçalves para garantir que não houvesse mais nenhum problema. Ele suspendeu o cozinheiro por três dias.

Mesmo deletando as redes, o post viralizou graças a diversos prints. E a repercussão chegou até à Câmara, onde o deputado federal bolsonarista Bilbo Nunes (PSL-RG) subiu à tribuna para denunciar uma “ameaça de morte a Bolsonaro”, atribuindo-a a “um numeroso grupo de pessoas”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 + 3 =