Covid tirou dos artistas o direito ao último aplauso

Raquel Morais

A pandemia do coronavírus vitimou quase 200 mil pessoas em todo o Brasil. Entre elas, vários artistas. Músicos, poetas, escritores e compositores não resistiram a agressividade da doença e deixaram, uma legião de fãs e admiradores saudosos. Aldir Blanc, Nicette Bruno, Ubirany, Eduardo Galvão e Paulinho do Roupa Nova estão entre os nomes de famosos que deixaram saudades no país todo.

Em 4 de maio a Covid-19 vitimou o compositor e escritor brasileiro Aldir Blanc, de 73 anos, após duas semanas de internação na UTI do Hospital Universitário Pedro Ernesto (Hupe). Ele deu entrada na unidade com pneumonia, pressão alta e infecção urinária mas após uma bateria de exames foi constatada a infecção pelo coronavírus.

Um dia depois, 5 de maio, um dos fundadores da banda Titãs, Ciro Pessoa, morreu aos 62 anos após ficar internado no Hospital das Clínicas, em São Paulo. Ele estava em tratamento contra um câncer e acabou contraindo a doença.

O ator Gésio Amadeu morreu em 5 de agosto aos 73 anos após ficar internado no Hospital Sancta Maggiore, na Mocca, Zona Leste de São Paulo. Ele foi internado em junho mas teve falência múltipla dos órgãos.

Em 8 de dezembro o ator Eduardo Galvão também não resistiu ao vírus e morreu aos 58 anos na UTI do Hospital da Unimed, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. Ele estava hospitalizado desde o dia 28 de novembro e deu entrada na unidade de saúde com 50% dos pulmões comprometidos, e após não responder bem ao tratamento, teve que ser entubado no dia 1 de dezembro.

Já no dia 11 de dezembro foi fez do mundo do samba ficar de luto com a partida do cantor Ubirany Félix Do Nascimento, do grupo Fundo de Quintal, que morreu com 80 anos. O sambista estava internado no Hospital Casa São Bernardo, na Barra da Tijuca, e não aguentou o tratamento.

No dia 14 o vocalista do grupo Roupa Nova, Paulo César Santos, o Paulinho, também morreu por complicações da Covid-19 aos 68 anos. Ele foi internado no dia 4 de novembro na UTI do Hospital Copa D’or, na Zona Sul do Rio. Além da infecção ele estava com o organismo fragilizado, além de comorbidades, tinha passado por um transplante de medula óssea devido a um linfoma. Mas a agressividade da infecção pelo coronavírus levou o músico a uma parada cardiorrespiratória.

O mês de dezembro também ficou mais triste com a partida da atriz niteroiense Nicette Bruno, de 87 anos, no dia 20. Ela estava internada na UTI da Casa de Saúde São José, no Humaitá, Zona Sul do Rio, desde o dia 26 de novembro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 + 11 =