Covid-19: Impacto no setor da aviação com cancelamentos de voos

O aumento dos casos da Covid-19, o surto de Influenza e a corrida pelos testes de diagnóstico na rede pública e particular estão impactando vários setores. Os próprios laboratórios já estão sem insumos para a realização dos testes  devido a alta demanda. Comércio sente a retração econômica assim como vários segmentos, inclusive da aviação. Muitos voos nacionais e internacionais estão sendo frequentemente cancelados em aeroportos de todo o país pelo excesso de casos positivos da Covid-19 na tripulação.

Segundo a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) é importante que os passageiros se mantenham informados sobre a situação de seus voos nos sites da companhia de sua escolha, devido ao avanço do contágio da variante Ômicron entre alguns colaboradores das empresas. Importante lembrar que 100% das tripulações de nossas associadas estão vacinadas contra a Covid-19 e que a situação está em monitoramento permanente. A instituição garantiu ainda  que as suas associadas não cobrarão multas para remarcação de voos nos casos de cancelamentos motivados por diagnóstico de Covid-19 entre seus tripulantes.

A Latam informou que em função do recente aumento de casos de Covid-19 e de Influenza, precisou cancelar no Brasil cerca de 2% dos voos domésticos e internacionais programados pela companhia dentro e de/para o País durante todo o mês de janeiro. Nessa sexta-feira 57 voos foram cancelados, no sábado oito foram cancelados e no domingo (16), por enquanto apenas dois. Antes de se dirigir ao aeroporto, é importante que o cliente confira o status do seu voo diretamente em latam.com. Caso o seu voo tenha sido alterado, o cliente deve realizar o login e acessar Minhas Viagens > Administrar suas viagens. Neste campo, pode remarcar a sua viagem sem multa e diferença tarifária ou solicitar o reembolso da passagem sem multa.

A Gol Linhas Aéreas divulgou em nota que houve nos últimos dias um aumento dos casos positivos entre colaboradores, mas nenhum voo foi cancelado ou sofreu alteração significativa por este motivo. Os funcionários que apresentam resultado positivo estão sendo afastados das funções para se recuperarem em casa com segurança. Neste momento, a Companhia tem 100% dos seus colaboradores vacinados e confia que somente com a população amplamente imunizada será possível superar mais este desafio que a pandemia apresenta.

Já a empresa Azul informou que, por razões operacionais, alguns de seus voos do mês de janeiro estão sendo reprogramados. A companhia registrou um aumento no número de dispensas médicas entre seus Tripulantes – casos esses que, em sua totalidade, apresentaram um quadro com sintomas leves – e tem acompanhado o crescimento do número de casos de gripe e Covid-19 no Brasil e no mundo. É importante ressaltar que mais de 90% das operações da companhia estão funcionando normalmente e que os clientes impactados estão sendo notificados das alterações, reacomodados em outros voos da própria companhia e recebendo toda a assistência necessária conforme prevê a resolução 400 da Anac. 

Nesses casos de cancelamento o cliente que tem uma passagem e teve um vôo cancelado deve ficar atento aos direitos. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) orienta que em casos de cancelamentos com menos de 72 horas de antecedência o reembolso integral é direito do passageiro. Se o passageiro não quiser o reembolso tem direito a reacomodação em outro vôo que pode ser da própria companhia ou de outra empresa, sem custos extras.

PARA ENTRAR NO BRASIL

Para entrada no Brasil, desde 2020, brasileiros e estrangeiros devem apresentar teste RT-PCR ou de antígeno, negativo, para pessoas a partir de 12 anos.O teste PCR deve ser realizado até 72h antes do embarque e o de antígeno até 24h antes. O certificado de vacinação é obrigatório de forma impressa ou online. O Brasil aceita todas as vacinas que fazem parte da Organização Mundial da Saúde (OMS).

VIAGENS NACIONAIS E INTERNACIONAIS

A regra para o embarque é ampla e varia de empresa para empresa e também de companhia, visto que se deve respeitar os direcionamentos e orientações do Estado (destino nacional e internacional) do destino.

Mas em termos gerais, para viagens internacionais, é exigido o certificado de vacinação em dia, online ou impresso, e o teste negativado para a doença, emitido no máximo até 24 horas e esse pode ser: RT-PCR, RT-LAMP, TMA, NEAR OU HDA, ANTÍGENO.

Já para viagens dentro do Brasil não é exigido o teste negativo com exceção de Fernando de Noronha (PE), que exige resultado negativo do teste RT-PCR com no máximo 48 horas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.