Correção: EUA mantêm restrições a turistas

A informação de que os Estados Unidos iriam liberar a entrada de turistas, divulgada primeiramente pela agência internacional Reuters e por veículos de comunicação de todo o Brasil, inclusive por A TRIBUNA e a Agência Brasil, infelizmente parece ter sido um mal entendido. De acordo com a Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, o que terá fim será apenas a obrigatoriedade dos voos a partir desses países chegarem por determinados aeroportos no país. Nada além disso.
A embaixada americana no Brasil divulgou que a nota emitida pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC), no dia 9 de setembro, e a nova regulação do Departamento de Segurança Nacional dos EUA (DHS), prevista para publicação no registro federal dos EUA no dia 14 de setembro, visam adotar uma nova abordagem para manter e proteger a saúde dos passageiros internacionais e dos norte-americanos. O comunicado do CDC e a publicação do DHS não alteram quem é permitido entrar nos Estados Unidos sob proclamação presidencial. As novas medidas serão implementadas no dia 14 de setembro de 2020 e incluirão, entre elas, a interrupção de triagem de saúde aos que chegam de certos países, incluindo o Brasil. O CDC continua recomendando que os viajantes internacionais entrem em quarentena por 14 dias quando viajam de áreas de alto risco.
A partir de 14 de setembro de 2020, o governo dos EUA removerá os requisitos para direcionar todos os voos que transportam passageiros de companhias aéreas que chegam ou recentemente tiveram presença em alguns países, incluindo o Brasil, para pousar em um dos 15 aeroportos designados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 − cinco =