Corpos são trocados em hospital particular de Cabo Frio

Após sofrer a dor da perda de um familiar para a Covid-19, familiares sentiram a dor de não conseguir fazer o sepultamento. Ao procurarem o corpo de José Pinheiro, de 71 anos, que faleceu na última terça-feira (27) vítima da Covid-19, a família descobriu que ele já havia sido sepultado por outra família.

O idoso estava internado desde o último sábado (24) no Hospital Clinerp, na unidade Cabo Frio. Depois do óbito do idoso, o hospital perdeu o corpo. De acordo com os parentes de José Pinheiro, ao ser internado ele foi diretamente para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e foi intubado, mas depois de quatro dias ele acabou não resistindo às complicações da doença e faleceu na última terça-feira.

Quando a família foi até a clínica fazer o reconhecimento do corpo, levaram eles para fazer o reconhecimento de outra pessoa, que não era José Pinheiro, mas sim de um homem chamado Odair. Após perceber o equívoco, foi descoberto que corpo de José havia sido sepultado na própria terça-feira, no Cemitério Jardim dos Eucaliptos, no bairro Jardim Esperança.

A administração do cemitério não autorizou a exumação do corpo para que os familiares fizessem o reconhecimento, alegando ser necessária uma decisão judicial. A Prefeitura de Cabo Frio, responsável pelo sepultamento, afirmou que acionou a Procuradoria-Geral do Município para apurar o caso.

Em nota, o Hospital Clinerp informou que o caso está sendo apurado pela unidade. Em respeito às famílias envolvidas, novas informações serão prestadas somente aos familiares e para Justiça, quando solicitado. Ainda segundo a nota, a unidade se solidariza pelo sofrimento das famílias envolvidas e informou que está dando todo o suporte e prestando toda a assistência necessária.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 + 8 =