Corpo de Stuessel Amóra é velado e cremado em Niterói

Há um trecho na letra do Hino Nacional Brasileiro que diz “Gigante pela própria natureza…” em que podemos descrever também como foi gigante o ambientalista Stuessel Wellington de Barros Amóra, de 82 anos, velado e cremado entre o meio-dia e 16h30 neste sábado (02) no Cemitério Parque da Colina, em Pendotiba, Niterói.

Amigos, autoridades, pessoas ilustres e familiares sob forte comoção foram dar adeus ao fundador da Sociedade de Pró-Preservação Urbanística e Ecológica de Camboinhas (Soprecam), que lutava contra um câncer desde 2015 e foi um dos maiores defensores do meio-ambiente como afirmou Binho Guimarães, de 31 anos, administrador da Região Oceânica: “A história de Stuessel se confunde com a minha aqui em Camboinhas e toda Região Oceânica. Quantas vezes ele puxou nossas orelhas quando éramos crianças levadas e anos mais tarde, cada repreensão nos moldou homens para a vida. O legado que fica deste ser humano extraordinário para Niterói é o melhor e a nossa missão é dar continuidade a isso”, contou emocionado.

O prefeito Axel Grael (PDT), que é engenheiro florestal e ambientalista, decretou luto de três dias na cidade e fez questão de prestar sua solidariedade aos familiares do amigo também ambientalista: “Stuessel foi um grande amigo, uma das maiores lideranças e mais influentes personalidades de Niterói. Com conquistas extraordinárias para a Região Oceânica, ele, por meio da Soprecam, teve papel relevante no meio-ambiente e em especial no bairro Camboinhas. É uma perda significativa e os niteroiense devem muito a este homem que é referência no nosso município”, contou.

Quem esteve no cemitério também foi Roberto Brum, ex-atleta do Fluminense e pastor de uma igreja na Região Oceânica, que falou do desbravador de Camboinhas com carinho: “Quando cheguei aqui, há 10 anos, ele foi muito importante para a minha adaptação no bairro. Fiz minha vida, fundei meu colégio e igreja e fui muito abençoado em ter um homem tão importante nesse processo. Só perdemos as pessoas, quando não sabemos onde ela está. Tenho certeza que ele está em um bom lugar”, profetizou.

Na presidência da Soprecam, Stuessel contribuiu para que Camboinhas, bairro nobre da Região Oceânica de Niterói, fosse durante muitos anos, o único bairro no Estado do Rio a possuir autogestão, com a própria comunidade gerindo a limpeza pública, preservação do meio ambiente, jardinagem, preservação dos projetos urbanos e da restinga, como afirmou o ex-deputado estadual Felipe Peixoto (PSD): “Fui prefeitinho da Região Oceânica e Stuessel foi um parceiro imbatível nas obras realizadas em Camboinhas e na preservação ambiental do bairro. O legado deixado por ele que é sim, possível, cuidar do meio ambiente e olhar para essas causas com grande carinho como ele fez por toda vida”, reconheceu.

Ao som de Ave Maria, de Gounod e Schubert, Oração de São Francisco, Como é grande o meu amor por você, de Roberto Carlos, e Love Of My Life, do Queen, tocados no saguão pelo violinista Albert Duarte, a cerimônia religiosa do velorio de Stuessel Amóra contou com centenas de pessoas e o corpo seguiu em cortejo para ser cremado na capela 3 às 16h30.

Diante da importância do ambientalista, 14 coroas de flores foram enviadas à família:

  • Zeraik e Cabral Advogados
  • Jourdan, Eva, Gustavo e Dandan
  • Antônio Mergulhão, filhas, filhos e netos
  • Vice-prefeito Paulo Bagueira
  • Hugo Cobra e Rogério Gomes
  • MW World Medical e Zimmer Biomet
  • Soprecan
  • Anna Maria, Mariana, Marcus, Tuca, Gabriella e netos
  • Smith & Nephen
  • Amigos Quinta do Lago
  • Amigos Orthoserv
  • Netos Sofia, Catharina, Valentina, Tom, Martina, Noah e Lis
  • Xandoca, Cláudia, Rafaela e Victor.

A família ainda não informou o destino das cinzas de Stuessel Amóra, que deixou a esposa Anna Maria, os filhos Mariana e Stuessel Junior, e os netos Sofia, Tom, Liz, Valentina, Martina e Noah.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.