Corpo de Marília Mendonça é sepultado em Goiânia

Foi sepultado o corpo da cantora Marília Mendonça às 19h no Cemitério Parque Memorial, em uma cerimônia restrita para familiares. O clima foi de emoção e comoção entre os amigos e parentes. Uma legião de fãs ficou na frente do cemitério em Goiânia esperando o fim do sepultamento. Aplausos, choro e muita música marcaram o final da tarde desse sábado (6). A compositora, de 26 anos, morreu em um acidente aéreo na tarde da sexta-feira (5), junto com mais quatro pessoas: Tarcíso Pessoa Viana, 37 anos, que era o copiloto e o piloto, Geraldo Martins de Medeiros. Além do produtor da cantora, Henrique Bahia, e o tio e assessor da sertaneja, Abicieli Silveira Dias Filho.

O corpo de Marília Mendonça chegou às 10h ao Goiânia Arena, um ginásio ao lado do estádio Serra Dourada, onde foi velado. O velório teve mais de 100 mil pessoas entre parentes, fãs e amigos. O espaço ficou aberto entre 13h e 16h quando, em cortejo, o caixão seguiu do ginásio Goiânia Arena até o Cemitério Parque Memorial no caminhão do Corpo de Bombeiros.

Na arena, as equipes de alguns cantores sertanejos foram ao local prestar homenagens  assim como membros do staff de Maiara e Maraísa, cantoras que iniciaram a turnê “Patroas 35%” com Marília, e da dupla Henrique e Juliano, com quem a cantora fez uma de suas primeiras aparições públicas.

ACIDENTE

A artista morreu em um acidente de avião na sexta-feira (5), na Serra da Caratinga, interior de Minas Gerais. Além da cantora, o produtor Henrique Ribeiro; o tio e assessor da cantora, Abicieli Silveira Dias; o piloto Geraldo Martins de Medeiros e o copiloto, Tarciso Pessoa Viana morreram no acidente. Fãs da cantora também dirigiram ao local e acompanharam o trabalho de resgate nas pedras de uma cachoeira.

Marília teria uma apresentação no mesmo dia e fãs chegaram a lotar uma praça da cidade para cantar músicas da artista.

A aeronave é um bimotor Beech Aircraft, da PEC Táxi Aéreo, de Goiás, prefixo PT-ONJ, com capacidade para seis passageiros.

A cantora postou um vídeo em sua rede social algumas horas antes do acidente falando sobre coisas que gostava no estado de Minas Gerais.

HISTÓRIA DE SUCESSO

Nascida na cidade de Cristianópolis (GO) e criada em Goiânia, Marília Mendonça começou a compor aos 12 anos e é autora de canções que foram gravadas por diversas duplas sertanejas famosas como Henrique e Juliano, Jorge e Mateus, Maiara e Maraísa e César Menotti e Fabiano. Foi coroada pelo público como a “Rainha da Sofrência”.

Recebeu em 2019 o prêmio de melhor álbum de música sertaneja no Grammy Latino e reuniu cerca de 40 milhões de seguidores nas redes sociais.

FAMÍLIA

Marilia Mendonça deixa o filho Leo, de 1 ano e 11 meses, fruto do relacionamento com o cantor sertanejo Murilo Huff. Eles começaram a namorar em 2017 e terminaram a relação em setembro passado.

 INVESTIGAÇÃO

O acidente aéreo está sendo investigado pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), órgão do Comando da Aeronáutica. Uma equipe do Rio de Janeiro periciou o local da queda. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou que a aeronave estava em situação regular e tinha autorização para fazer táxi aéreo.

De acordo com nota o policial civil e delegado regional de Caratinga, Ivan Sales, disse que um inquérito foi instaurado e as investigações prosseguirão com a oitiva de testemunhas e a juntada dos laudos. A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), estatal mineira responsável pela transmissão e distribuição de energia no estado, divulgou uma nota com informações sobre o acidente e manifestando solidariedade aos familiares das vítimas. “A Cemig informa que o avião bimotor que transportava a cantora Marília Mendonça e outras quatro pessoas atingiu um cabo de uma torre de distribuição da companhia no município de Caratinga”, diz o texto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 + 3 =