Corpo de ativista assassinado é sepultado sob protesto em Maricá

O corpo do ativista do Movimento Negro, Lucas dos Santos, de 26 anos, foi sepultado na manhã de terça-feira (5), em Maricá, sob protestos. Familiares e amigos estenderam uma faixa com os dizeres “vidas negras importam”. Lucas foi assassinado a tiros e seu primo foi ferido.

O crime aconteceu no domingo (3), no distrito de São José do Imbassaí, na mesma cidade. Lucas e seu primo, Michel, foram baleados na porta de casa. Michel, que ficou ferido, teve alta do Hospital Municipal Conde Modesto Leal, também na manhã de terça-feira (5).

Mônica Gorjão, presidente da UNEGRO-RJ em Maricá, esteve no funeral para prestar as últimas homenagens a Lucas. Ela relembrou a atuação de Lucas no movimento e lamentou a perda.

“O Lucas está com a gente desde o início, em 2015. Atuou com a gente em todas as atividades de massa tanto aqui quanto no estado e em todos os momentos importantes que a gente viveu, todo esse processo político, ele esteve presente com a gente levantando todas as bandeiras”, disse.

A investigação está a cargo da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Maricá (DHNSG). A especializada afirma que foi acionada e a perícia foi realizada no local. As investigações estão em andamento para esclarecer o caso.

Disque Denúncia divulga cartaz

O Disque Denúncia, por meio do Portal dos Procurados, divulgou cartaz “Quem matou?”, em busca de informações sobre os envolvidos no assassinado de Lucas dos Santos, de 26 anos.

Informações podem ser passadas via telefone, (21) 2253-1177; WhatsApp (21) 9.8849-6099; ou pelas redes sociais do Portal dos Procurados. O anonimato é garantido.

Lucas era militante do Movimento negro, e fazia parte da UNEGRO-RJ, entidade que lamentou sua morte, por meio de nota. “É com bastante pesar que recebemos a notícia do falecimento do jovem Lucas dos Santos, aos 23 anos. Deixamos nossas mais sinceras condolências à família e amigos por esta inestimável perda. O jovem Lucas dos Santos morreu em frente à sua residência onde foi baleado. O jovem era, trabalhador sem ficha criminal, evangélico e frequentava igreja em São José de Imbassaí, na cidade de Marica”, diz o comunicado.

De acordo com o movimento, foi o segundo integrante do grupo a ser morto em seis meses. Outro membro, Renan Eloy, foi morto em agosto do ano passado.

O atentado aconteceu na Comunidade da Linha, na Rua Nelson Alves de Souza. Segundo relato de testemunhas, três criminosos num automóvel não identificado, passaram atirando em frente a casa dos irmãos, que foram atingidos. Ambos foram socorridos pela família ao Hospital Municipal Conde Modesto Leal, no Centro. Lucas não resistiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 − 6 =