Coronavírus: secretária de Saúde de Niterói participa de reunião com ministro

Com o objetivo de discutir detalhes de planos de contingência, de forma a contemplar medidas de prevenção, vigilância e assistência para lidar com um possível caso do novo coronavírus, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, esteve reunido com secretários de Saúde dos estados e capitais, na Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), para reiterar a importância de as pessoas se vacinarem contra gripe, de forma a evitar um número maior de casos suspeitos do novo coronavírus no país. A secretária municipal de Saúde de Niterói, Maria Célia, participou do encontro e na ocasião apresentou a portaria em que instituiu o Grupo de Resposta Rápida para assuntos relacionados à doença.

Segundo o ministro, como não há, até o momento, nenhum caso confirmado da doença, não é possível justificar campanhas preventivas ao coronavírus, no lugar de campanhas de maior utilidade para o público brasileiro.

“Me perguntaram se não vamos fazer uma campanha agora. Fazer uma campanha agora sem ter um caso confirmado, concorreria com campanhas que estão acontecendo. No sábado, lançamos a campanha das infecções sexualmente transmissíveis. A gente achou que isso seria um gasto de uma situação que ainda não se põe”, disse o ministro.

“A vacinação contra outros tipos de gripe é importante porque evita a ocorrência de casos suspeitos (nos quais o coronavírus não venham a ser confirmados)”, completou.

Os secretários solicitaram ao ministro que dê atenção especial à vacinação contra gripe nos estados da Região Sul, onde o outono tem aspectos de inverno, o que facilita a propagação de outras gripes. Na reunião, Mandetta apresentou alguns cenários possíveis para o enfrentamento ao coronavírus. O atual, com o qual o Ministério da Saúde trabalha, é o intermediário, por uma questão de cautela.

“A ideia é que hoje tenhamos o início do plano de contingência de vocês (estados e municípios). Temos (projeções de) cenários totalmente assimétricos. Tem o que não apresenta nenhum caso; tem o cenário em que vai ter um número ínfimo de casos; tem o cenário intermediário, em que se replicaria mais ou menos aquela situação da China; e tem o cenário de risco elevadíssimo, de megaepidemia. A gente tem trabalhado, no Ministério Saúde, basicamente com o intermediário. Acho que esse deve ser o tom da cautela”, acrescentou.

O ministro Mandetta chamou a atenção para algumas diferenças relativas à forma como a questão da saúde é enxergada por Brasil e China, o que poderia acarretar em alguma diferença no trâmite de enfrentamento à doença.

“Uma coisa importante de se notar é que a China trabalha saúde sob a ótica de defesa. Nós, como uma questão sanitária”.

Segundo a Prefeitura de Niterói, a secretária Municipal de Saúde, Maria Célia Vasconcellos, ainda na quarta-feira (5), participou também de uma assembleia com a diretoria do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde, em que foram discutidos dados sobre vigilância e assistência em caso do novo coronavírus.

Já ontem, no encontro que ocorreu com o ministro da Saúde, representantes da OPAS e secretários de saúde estaduais e municipais ela apresentou e uniu as ações de responsabilidade tripartite, ou seja, dos governos Federal, estaduais e municipais, em relação ao novo coronavírus. Ainda de acordo com a Prefeitura, o município foi elogiado pela rapidez na resposta sobre o coronavírus e no trabalho de combate ao aedes aegypti, que serve de modelo para outros municípios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × um =