Coronavírus: Prefeito de Niterói denuncia onda de fake news e lamenta “postura canalha”

Durante a transmissão ao vivo, de sua live pelo Facebook para a atualização dos números e medidas contra o coronavírus o prefeito, Rodrigo Neves (PDT) criticou duramente a propagação de mentiras através da produção de sistemáticas de fake news, em Niterói. “Você canalha que está fazendo baixaria e mentira na internet pagará um preço alto porque nós vamos entrar com uma ação de danos morais por calúnia e difamação especialmente contra o cidadão que eu acabei de falar aqui”, disse o prefeito que não citou nome, mas se trataria de um cidadão niteroiense conhecido por André que requentou uma fake news na cidade sobre o contrato do hospital Oceânico .

De acordo com Rodrigo Neves, os mesmos que andam espalhando notícias falsas sobre o arrendamento do hospital Oceânico, em Piratininga, são os mesmos que já tentaram contaminar a opinião pública com a disseminação de fake news sobre a compra dos coletes da guarda e o arrendamento de um hotel em Icaraí para os profissionais que estão na linha de frente da pandemia.

“A gente sabe quem são. Alguns já estão com ações e queima queixa-crime por calúnia e difamação por disseminação de boatos e mentiras e fake news e nós não vamos de maneira nenhuma deixar que vocês, que não fazem nada pela cidade, que não trouxeram nenhum teste para ajudar Niterói e que não trouxeram nenhum respirador para salvar vidas em nossos hospitais destruir a cidade e o trabalho que está sendo feito. Mas, não vão conseguir porque cada um que está aqui nessa mesa sabe o que está fazendo, sobretudo da importância de ter transparência com a sociedade daquilo que está sendo feito”, lamentou o prefeito.

Segundo o prefeito, todas as ações que Niterói está fazendo em relação a pandemia são informadas ao Ministério Público a Câmara dos Vereadores e colocado no portal da transparência. “Volto a dizer que essa pessoa que está fazendo essas calúnias vai receber uma multa pesada para aprender a não falar mentiras sobre o arrendamento do hospital, a questão da lavagem dos coletes do programa Niterói Presente e da reserva do hotel dos nossos profissionais. Essa pessoa é filho de um cidadão de Niterói que já foi condenado por danos morais em 2015 por contar mentiras na internet e por fazer calúnia e difamação a servidores públicos da prefeitura e a justiça já o condenou. Eu não tenho nenhum tipo de condenação sou ficha limpa e estou à disposição sempre para prestar informações e esclarecimentos a quem quer que seja seja na minha vida pública ou na minha vida privada”,

Presente na reunião do Gabinete de Crise, a controladora geral do município, Cristiane Mara Marcelino Rodrigues, disse que recebeu com muita perplexidade a fake news. “Fiquei revoltada de ver os vídeos de fake news e me parece que eles estão falando de outro lugar e não me parece ser de Niterói porque eu e a minha equipe fazemos um trabalho sério analisando todos os processos trabalhando 24 horas por dia todos em todos os contratos que estão na transparência disponibilizados com todas as informações”, criticou a controladora.

Para o secretário de Segurança Gilson Chagas, as acusações são um absurdo. “Os profissionais da guarda não merecem isso. Eles estão na linha de frente dessa epidemia, por isso iniciamos e providenciamos máscaras, álcool em gel e a limpeza dos coletes, que em relação à limpeza, era passada de um agente para outro ao término do serviço e no cenário deste de pandemia isso se tornava um risco muito grande. Por isso, nós iniciamos e o processo para contratação da lavagem e higienização e embalagem individual dos coletes feito através de pesquisas de preço com várias empresas e conseguimos contratar por R$ 7,50 a lavagem. Para se ter uma ideia, nós temos mais de 350 policiais trabalhando nas ruas de Niterói pelo Niterói presente e hoje temos cinco agentes afastados, se não fosse essa medida a coisa estaria pior”, esclareceu Chagas.

Já o secretário de Planejamento, Axel Grael, defendeu a contratação de um hotel em Icaraí, com 34 quartos para os profissionais que estão na linha de frente da área de saúde, da assistência social e de segurança.

“Esses profissionais se expõe muito no enfrentamento do covid-19. Para proteger eles e principalmente suas famílias nós arrendamos um hotel em que nós pagamos pela diária de cada um desses que precisam ficar em isolamento afastados de seus entes. Pelo período da pandemia a diária no Hotel Village custou R$ 96,00 por diária. Para se ter uma ideia, fizemos e levantamento do preço médio em Niterói inclusive pesquisando em todos os hotéis e chegamos a uma média de R$ 125,00 a diária. Portanto, é mais uma contratação feita de acordo com a legislação passando por todo o sistema de controle da prefeitura”, concluiu Axel Grael.

Por último na live o prefeito defendeu que já tenha passado o dinheiro para o estado para ajudar o município de São Gonçalo sem ter assinado um protocolo para intenção de construção do hospital de campanha no Clube Mauá.

“É fundamental a retaguarda da saúde de São Gonçalo para pressionar menos a retaguarda hospitalar de Niterói. Os 45 milhões deste protocolo previsto para ser repassado ainda não ocorreu e sequer foi assinado. E eles tentam espalhar boatos porque está no portal da transparência nós não repassamos nenhum recurso a Secretaria de Estado de Saúde porque nós só vamos repassar qualquer recurso quando houver um plano detalhado como teve o hospital oceânico”, concluiu o prefeito Rodrigo Neves.

CASOS — Segundo a Prefeitura, 1.115 casos de Covid-19 foram confirmados em moradores de Niterói, nesta quinta-feira, dos quais: 552 isolamento domiciliar e sendo acompanhados pela Fundação Municipal de Saúde, 430 recuperados, 75 hospitalizados e 58 óbitos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 + 2 =