Coronavírus: Força tarefa prepara a abertura do Hospital Che Guevara em Maricá

Uma força tarefa com cerca de 250 profissionais deu início ontem à preparação para a abertura do novo Hospital Municipal Dr. Ernesto Che Guevara, em São José de Imbassaí, para receber possíveis casos do novo coronavírus.

Além da área externa – que vai receber paisagismo, pavimentação e iluminação -, as equipes que atuam no local cuidam da parte de acabamentos internos, revisão das instalações elétricas, hidráulicas, de ar condicionado e também de pintura. A previsão é que esta parte esteja finalizada em uma semana para, em seguida, começar a instalação de equipamentos e do mobiliário.

No novo hospital haverá áreas de isolamento infantil e adulta (com sistema de ar condicionado filtrado) e Centro de Terapia Intensiva (CTI). Após a abertura, a cidade terá mais 137 leitos disponíveis. A ideia é que o Che Guevara se torne uma referência de atendimento eventual de vítimas do coronavírus – a cidade não registra nenhum caso até o momento – na região.

“É um momento de amor ao próximo, por isso Maricá terá, inclusive, capacidade de atender doentes de cidades vizinhas, como São Gonçalo, no combate ao coronavírus”, disse o prefeito Fabiano Horta.

De acordo com Renato Machado, presidente da autarquia de Serviços de Obras de Maricá (Somar), a abertura irá equacionar a questão hospitalar na cidade e ainda vai colaborar no esforço no combate ao vírus.

“Sempre houve um grande empenho para que o hospital fosse logo aberto e agora isso se tornou ainda mais necessário e também oportuno. Estaremos salvando muitas vidas neste espaço”, salientou.

Para a secretária de Saúde, Simone Costa, a abertura do Che é uma demonstração da capacidade do município de se organizar para atender e auxiliar o esforço também do estado. “O hospital já tem responsabilidade técnica, já tem os protocolos e o que falta agora vai ser resolvido, nem que todo mundo durma e acorde dentro do hospital Dr. Ernesto Che Guevara. Ele vai abrir para atender não só a população municipal, mas a população regional”, disse.

O hospital municipal, que ocupa uma área total de 13 mil metros quadrados às margens do Km 23 da rodovia RJ-106 (sentido Tribobó), é formado por três blocos, onde no A estão localizados os consultórios médicos e a recepção; no B estão o centro cirúrgico e as UTIs, e no C funcionará a área de serviços como refeitórios, vestiários, administração e salas de TI.

O investimento é realizado com recursos próprios e, além dos leitos para internação, com dois CTIs, 19 enfermarias (com três leitos cada), distribuídas pelos três blocos, seis salas de observação para adultos e mais três alas de observação para pediatria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × 1 =