Contrato para produção de IFA no Brasil deve ser assinado até março, diz Fiocruz

O ingrediente farmacêutico ativo (IFA) para a elaboração da vacina de Oxford/AstraZeneca deve ser produzido no Brasil em breve, de acordo com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). A instituição deve assinar, até março, o contrato com a AstraZeneca para a transferência de tecnologia.

Dessa forma, a matéria-prima deve passar a ser produzida no Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos). Atualmente, as doses estão sendo elaboradas com IFA importado do laboratório WuXi Biologics, na China.

Segundo a Fiocruz, este contrato deveria ter sido assinado ainda em 2020, mas precisou de mais tempo para ser preparado por conta da complexidade do acordo. Todavia, a instituição garante que o atraso não interferiu no cronograma de entrega das doses ao Ministério da Saúde.

“No entanto, o grau de detalhamento necessário para esse tipo de documentação exigiu um tempo maior de preparação”, diz a fundação.

Cabe ressaltar que o acordo de encomenda tecnológicaentre a Fiocruz e a AstraZeneca prevê que, até julho, 100,4 milhões de doses sejam produzidas a partir de IFA importado. A partir desse acordo, a Fiocruz já incorporou a tecnologia necessária para formular a vacina utilizando IFA importado e iniciou a produção das doses.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis + 14 =