Contratações de temporários serão menores em 2018

Pedro Conforte –

Este ano, em Niterói, as contratações para o fim do ano devem ser menores e por menos tempo, de acordo com a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) da cidade. A expectativa é que as lojas de presentes aumentem em 30% o seu quadro de funcionário. O número pode parecer animador, mas em 2017 essa expansão chegou a 50%. Além disso, a cautela fez as contratações ficarem só para o fim de novembro, diferente de anos anteriores que em outubro já haviam lojas contratando temporários.

“As contratações deverão atrasar este ano. Normalmente elas [contratações de temporários] começam em primeiro de outubro. Já pega dia das crianças e o empresário vai capacitando os temporários e quando chegar em dezembro, essas pessoas já estão adaptadas a loja e a empresa. O que está ocorrendo hoje, o empresariado está reticente, está deixando para última hora. Deve ser só final de novembro, início de dezembro que as contrações irão começar. Fizemos uma pesquisa em Niterói, e o aumento deve girar em torno de 30% em média para as lojas, abaixo do ano passado. Em 2017 teve empresa que aumentou o quadro em 50%. Esta queda proveniente da cautela, devido a esta incerteza na economia”, esclareceu Luiz Vieira, presidente da CDL Niterói.

Segundo a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ), cerca de 3 mil estabelecimentos do varejo em todo o Estado reforçarão o quadro de funcionários com empregados temporários, com aumento médio de 29% no quadro entre os estabelecimentos que terão reforço para o período, bem perto que será registrado em Niterói. A Federação divulgou ontem um estudo que aponta cerca de 10,3 mil contratações temporárias poderão ser abertas para o fim do ano.

O Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro (CDL-Rio) projeta a contratação de 10 mil empregados para trabalhar durante as festas de fim de ano e no verão na região metropolitana, o que representa 16% menos contratações que em 2017. Das 500 empresas ouvidas, 20% pretendem contratar para esse período, 65% estão indecisas sobre as contratações, 10% não contratarão e 5% pensam em pagar horas extras à sua equipe de funcionários fixos, se for necessário.

A sondagem revela ainda que 38% dos empresários não pretendem efetivar os temporários, contra 19% que respondem de forma afirmativa. Para 43% dos consultados, a decisão depende do movimento das vendas e da recuperação da economia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *