Conselho de Segurança vai traçar estratégias para conter violência na Região Oceânica

Wellington Serrano –

O alto índice de assaltos na Região Oceânica de Niterói vai levar os representantes da segurança de Niterói a uma reunião estratégica para traçar os rumos das formas de mobilização para o combate da violência no local. O encontro será no dia 25, na CDL, entre 10h às 12h, segundo Leandro Santiago, presidente do Conselho Comunitário de Segurança de Niterói.

“Percebemos que devemos agir antes que os assaltos virem prática comum na localidade, por isso, temos que nos mobilizar e iniciar o combate com inteligência nos casos específicos”, afirmou ele.

A preocupação de Leandro se deve aos recentes roubos que afetam a vida de 57 mil pessoas que moram na região, entre elas, comerciantes. Segundo Santiago, a violência urbana no Rio está limitando a ação das empresas que são obrigadas a pagar ‘pedágios’.

“Essa modalidade é antiga no Rio e que chega agora na cidade. Temos relatos da cobrança de uma cota para que empresas realizem entregas ou funcionem em determinados locais”, lamentou.

Procurado e informado sobre o problema na Região Oceânica, o coronel Márcio Rocha, comandante do 12º do BPM, disse que a Polícia Militar, está atenta.

“Vamos nos reunir para dar conta do problema da ordem da segurança que afeta também a entrega de gás na Região Oceânica, em especial no bairro Engenho do Mato”, disse o comandante.

Segundo ele, o aumento do trabalho em ações de caráter preventivo e repressivo, bem como da execução de Operações de Inteligência, estão em estreita relação com a Polícia Civil.

“A 81ª DP atua em conjunto conosco para que possamos formalizar no mais curto prazo possível os serviços, identificando e prendendo os membros das quadrilhas de traficantes de drogas que vêm causando os transtornos que, por hora, estamos enfrentando”, revelou o comandante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × quatro =