Confusão em Itacoatiara: Casal deve ser indiciado por injúria racial

O casal acusado de ter feito ofensas de cunho racista e agredido um grupo de jovens, na praia de Itacoatiara, no último dia 28 de agosto, deverá responder por crimes de injúria racial e lesão corporal. A informação foi confirmada pelo delegado Fábio Barucke, titular da 81ª DP (Itaipu), responsável pela investigação do caso.

De acordo com o relato feito pelas vítimas, moradoras do bairro Tribobó, em São Gonçalo, o casal os teria abordado de forma agressiva, solicitando que o grupo desligasse o som e se retirassem da praia. A partir daí iniciou-se uma agressão, na qual um dos rapazes teria sido agredido fisicamente por um dos suspeitos, Além disso, os jovens acusam o casal de tê-los chamado de “pretos e gonçalenses”.

“Inicialmente as partes foram para a delegacia, relataram uma injúria racial. Houve também agressão. Os envolvidos foram ouvidos, negaram a injúria racial, reconheceram que houve uma agressão. Ainda restava ouvir uma testemunha. Mas, pelo que eu já tinha visto nos termos, o que está se encaminhando é por um indiciamento por injúria racial e lesão corporal”, explicou Fábio Barucke.

Caso é investigado pela 81ª DP – Foto: Arquivo

Ainda de acordo com o delegado, antes de o caso ser remetido á Justiça, serão analisados os depoimentos referentes à investigação. Caso seja confirmado o indiciamento, Barucke confirmou que os suspeitos responderão em liberdade, ou seja, por ora está descartado que a Polícia Civil peça a prisão do casal. A pena para injúria racial vai de um a seis meses de reclusão ou multa; já para lesão corporal é de três meses a um ano.

A reportagem de A TRIBUNA tentou contato telefônico e via e-mail com o casal acusado. No entanto, até o fechamento desta reportagem, não havia sido emitido posicionamento. O espaço permanece aberto para que o casal se manifeste. Em entrevista concedida no dia 31 de agosto, a mulher envolvida na confusão negou ter feito ofensas de cunho racista aos jovens.

Recordando

Na manhã de sábado, um grupo de cinco amigos do bairro Tribobó, São Gonçalo, que tinha acabado de chegar a Itacoatiara para passar o dia na praia, teve seu momento de lazer interrompido devido a um desentendimento com um casal de moradores da região. De acordo com uma das vítimas, o casal exigiu que um dos amigos desligasse o aparelho celular que estava conectado a um sistema de som.

Ainda segundo relato do jovem, seu amigo teria se negado a desligar o aparelho justificando que se tratava de um local público e que ele não era obrigado a deixar de fazer uso do equipamento. “Logo após chegarmos à praia, ligamos o som e, 15 minutos depois, apareceu o casal mandando desligar tudo e sair da praia.” A partir desse momento, o jovem relata que começaram as agressões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 1 =