Compaixão une pessoas e cães abandonados pela sorte

O frio, a fome, o abandono e as dificuldades de morar na rua acometem não só as pessoas que moram pelas ruas de Niterói. Os animais também passam por essas sensações mas encontram afago, comida e muito amor de quem, por muitas vezes, não recebem isso de outras pessoas. Considerados os melhores amigos dos homens, os cachorros que vivem nas ruas também têm seus protetores e tutores que dividem tudo com eles: da pouca comida que recebem ou ‘catam’ nos lixos até o cobertor e papelão que esquentam quando a temperatura despenca.

Matheus Vasconcelos, de 23 anos, morava na Avenida Ernani do Amaral Peixoto, no Centro de Niterói, mas agora optou por dormir em um abrigo da prefeitura. Seu fiel escudeiro, o vira lata Scobby, não pode dormir com ele no abrigo, e tem passado as noites com o pai de criação, Eduardo Martins, 53 anos. “Eu deixo ele a noite e busco de manhã. Eu estou há 35 anos morando na rua após intrigas com a família. Cuido do animal como cuidaria de qualquer pessoa. Divido tudo que tenho com ele e com qualquer pessoa que me pedir ajuda. Eu já dei minha comida para ele muitas vezes e já comi a ração dele algumas vezes”, contou. Scobby não esconde o carinho por seus tutores, abana o rabo quando vê Matheus e recebe afago de muitas pessoas que passa por ele.

O mesmo amor, carinho e respeito recebe a Pretinha. Com pelo sedoso, coleira nova e muito doçura ela ganhou o coração do morador de rua Danoel Silva, de 35 anos. Ele cuida dela desde filhote e vive com ele no coreto da Praça Duque de Caxias, na Boa Viagem. “Ela tem um padrinho, um senhor que passa e sempre brinca com ela, dá remédio para ela e doa ração. Mas quando não tem ração ela come a mesma comida que eu. Se eu comer um biscoito ela vai comer biscoito comigo. Se eu comer comida de panela ela vai comer metade comigo. Se eu não comer nada, ela não vai comer nada. Ela é muito fiel comigo e eu com ela. Cuido dela com o que tenho e com todo o meu carinho”, pontuou.

A Prefeitura de Niterói informou que está realizando uma ação intensificada das equipes de abordagem nas ruas dos bairros que concentram a maior parte da população em situação de rua na cidade. O objetivo é oferecer acolhimento emergencial nesses dias de frio intenso e, posteriormente, os serviços dos equipamentos da Secretaria Municipal de Assistência Social e Economia Solidária para aqueles que demonstrarem interesse. Para quem tem animais, a parceria feita com a Coordenadoria Especial de Direitos dos Animais, permite que os animais sejam levados a um local seguro e com alimentação durante esse período emergencial até serem devolvidos aos seus donos.

Raquel Morais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 + dezesseis =