Comissão de vereadores denuncia descarte irregular de lixo em São Gonçalo

A Comissão de Meio Ambiente da Câmara Municipal de São Gonçalo vai investigar empresas da cidade que são suspeitas de realizar descarte irregular de lixo em vias públicas do Centro. Informações sobre
a investigação foram divulgadas ontem (18) pelo vereador José Carlos
Vicente (PSL), que credita na existência de descaso de descarte de lixo por parte dos lojistas e comerciantes.

“São 19h, em plena terça-feira [17] e aqui, em Venda da Cruz, principal porta de entrada da cidade para quem vem de Niterói, acontece a mesma coisa na Rua Dr. Feliciano Sodré e na Cel. Moreira César, no Centro: a sujeira é diária e quase que 24 horas e 90% dos lixões são causados
pelos comerciantes e pelos lojistas”, desabafou pelas redes
sociais o vereador. Segundo ele a Prefeitura não tem capacidade para ficar 24 horas nos bairros fiscalizando. “Depois não adianta ficar atacando a classe política se cada um não cumpre com suas necessidades, garanto que em suas filiais em Niterói eles deixam tudo limpo e organizado.

Atenção Câmara dos Dirigentes Lojistas e Associação Comercial,
precisamos fazer alguma coisa e parar de omissão”, criticou o vereador.
José Carlos Vicente disse que as empresas precisam seguir padrões.
“Aqui (no Centro) a gente tem resíduos de toda natureza: hospitalar, derivado de petróleo e etc. Isso é um mal muito grande. Agente lamenta
ver a falta de organização de uma das principais áreas como essa. Nós temos um problema que é a proliferação de roedores que, isso sim, pode causar danos aos consumidores e moradores”, disse o vereador.
De acordo com a comissão, o esquema envolve empresas do município, que deveriam dar destinação correta aos lixos. O descarte ocorre
na calçada sem qualquer preparo sanitário e acontece, geralmente, à tarde, à noite ou de madrugada. “O comércio e as lojas jogam os lixos nas ruas como se tivessem em casa. Se isso continuar, vou tomar uma providência,
como a de estabelecer multa diária”, ameaçou José Carlos Vicente.
Procurada, a CDL de São Gonçalo não se pronunciou até o fechamento desta edição. Já o representante da Associação Comercial não foi
encontrado por telefone para comentar a situação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 − cinco =