Comidas juninas mais caras reduzem vendas

Raquel Morais

Um levantamento da Fundação Getúlio Vargas (FGV), através do Índice de Preços ao Consumidor (IPC), apontou o aumento de 2,70% no preço médio dos quitutes juninos. Já no acumulado de 12 meses, desde junho de 2016, a alta foi de 4,05%. A Câmara de Dirigentes Lojistas de Niterói (CDL-Niterói) aposta no maior movimento do setor para o final de junho e meado de julho.

O vice-presidente da CDL-Niterói, Luis Vieira, disse ainda que atualmente o comportamento do consumidor está igual ao do ano passado. Segundo nota o economista André Braz, responsável pela pesquisa de preços e coordenador do IPC da FGV, lembrou que no ano passado a batata-inglesa teve alta muito forte (85,52%). “Boa parte dos itens selecionados estava com aumento de dois dígitos”, apontou. Os ingredientes juninos no ano passado mostravam média de alta de 18,5%. “Este ano (2017) foi muito mais baixo”, completou.

“Três coisas podem explicar esse aumento: a inflação de preços; oportunismo dos comerciantes aproveitando o aumento da demanda e as duas situações acima”, acrescentou Sérgio Dias, economista e consultor do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Na Cia do Doce, no Centro, o gerente, que se identificou apenas como Josimar, informou que o movimento está muito abaixo do esperado.

Gerente de outra loja, Rejane Rodrigues confirmou a baixa nas vendas. “Os clientes estão buscando muito preço e optando por produtos de marcas mais baratas. No ano passado os clientes tinham preferência, mas agora, eles optam pelos doces e salgados mais em conta, nem que a diferença seja R$ 1”, comentou. Na loja o pacote de paçoca com 50 unidades custa R$ 17,99 enquanto no ano passado, no mesmo período, estava R$ 16,99.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove + oito =