Comércio está ‘aquecido’ com itens para o inverno

O inverno começou no último dia 21 e com a temperatura mais baixa os comerciantes já começam as vendas de produtos para a estação. A estimativa da Câmara de Dirigentes Lojistas de Niterói (CDL-Niterói) é de um aumento de 40% nas vendas no comparativo com a estação mais fria do ano passado. Casacos, moletons, cobertores e meias, por exemplo, estão figurando as vitrines e niteroienses driblam os preços, que já estão mais altos.

O presidente da CDL-Niterói, Luiz Vieira, contou que o inverno sempre foi um complicador para o segmento, principalmente de moda, mas esse ano está diferente. “Os invernos rigorosos não têm acontecido nos últimos anos e, normalmente, o comércio estoca o produto e quando chega nos meses de julho e agosto, é obrigado a liquidar tudo. Diferentemente este ano, já começamos a sentir a temperatura baixar bastante nos meses de maio e junho fazendo o comércio de produtos de inverno ficar aquecido. Nós estamos vendendo muito mais e a nossa expectativa é obter um aumento nas vendas de 25% a mais do que o ano passado”, garantiu.

Mas com a procura grande é natural que os preços também aumentem e a famosa lei da oferta e da procura se aplica diariamente na cidade. A gerente de uma loja no Centro da cidade, Joelma Gomes, confirma que as vendas de moletons e casacos estão em alta. “Estamos congelando os preços para continuar com as vendas em ritmo bom. As coisas estão normalizando e estamos retomando as vendas depois de um período difícil”, comemorou. Os casacos estão sendo vendidos a partir de R$ 120, as camisas flaneladas a partir de R$ 100 e as calças de moletom a partir de R$ 89.

De acordo com a empresária, Katia Vieira, dona de uma loja em Icaraí, esse inverno chegou com tudo. “Fizemos vários pedidos de novas peças para o inverno como casacos, teddys, cachecol, jaquetas, golas de pelúcia, cashmeres, calças peluciadas em teddy, entre outros. Muitos clientes estão buscando roupas quentinhas e ao mesmo tempo com estilo”, garantiu

A secretária Mariana Oliveira, 30 anos, usou a quarta-feira (22) para fazer pesquisa de preço de dois conjuntos de moletom para seus filhos. “Tenho uma menina e um menino e estou precisando comprar roupa de frio para eles. Mas eu prefiro ver quanto está custando na loja e comparar com o preço na internet. Como são dois conjuntos, o desconto vale a pena”, contou.

Uma plataforma de comércio eletrônico, online, que faz venda direta entre marcas e consumidores também já percebe um aumento nas vendas em mais de 240% em itens específicos para o inverno. Um dos produtos mais vendidos foi a meia-calça térmica forrada, casacos, calças joggers infantil e adulto, tênis, meias, leggings e moletons canguru são os itens mais comprados no marketplace.

“Com a chegada do frio na segunda quinzena de maio, os consumidores se anteciparam para comprar produtos mais quentes. Acreditamos que os nossos vendedores parceiros têm a oportunidade de expandir seus negócios e se preparar ainda mais com itens que sirvam como opções para o período de baixas temperaturas”, comenta Leila Carcagnoli, líder de categoria do aplicativo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.