Comércio em compasso de espera por vendas de São Cosme e Damião

O Dia de São Cosme e Damião, data em que pessoas devotas dos gêmeos santos distribuem doces para crianças, é só na sexta-feira, mas o comércio começa a se movimentar. Lojas da Rua Visconde de Uruguai, no Centro de Niterói, cheias de consumidores, estão com as encomendas no depósito esperando as vendas pelo menos na mesma proporção do ano passado, apesar da crise econômica. A TRIBUNA pesquisou o preço do saquinho de doces, que varia de R$ 2,16 a R$ 3,47.

“A procura ainda não começou. Todo ano os consumidores deixam para a última hora. Mas a tendência é melhorar já que os preços tendem a baixar”, observou a gerente da Xapic Doces, Elza Cardiano.

Já Márcio Lopes, vendedor de outra loja próxima, está mais otimista. “O movimento só começa mesmo na véspera. Não temos muito a esperança de que a procura seja maior do que a do ano passado, mas se for igual já estamos satisfeitos. Vários consumidores já vieram aqui para pesquisar os preços”, declarou o vendedor.

A TRIBUNA pesquisou o preço dos produtos que compõem um saco de doces de São Cosme e Damião, como uma paçoca, um doce de abóbora, cinco balas, maria mole, pipoca pequena e mariola. O preço de uma caixa de paçoca custa em média R$ 20. A de doce de abóbora com 50 unidades custa entre R$ 30 a R$ 39,90. O pacote de balas mastigáveis pode ter um custo entre R$ 11,25 e R$ 22. Já a caixa da maria mole custa entre R$ 11,99 a R$ 15,25. O saco da pipoca custa R$ 1.

Esse ano não são só os devotos de São Cosme e Damião que vão distribuir os sacos. A equipe de reportagem encontrou um cristão que vai distribuir doces pelo simples prazer de ver uma criança feliz. É o caso de Rodrigo Tavares, de 29 anos. Ele disse que distribui os doces desde o ano passado. “Junto com minha esposa quero fazer um agrado para a garotada. Todas as crianças da minha rua já sabem. Minha esposa, que é evangélica, tem o maior prazer em distribuir mais para trazer alegria”, declarou.

De acordo com a Câmara de Dirigentes Lojistas de Niterói (CDL), para esse ano a previsão é de um aumento de 2,5% nas vendas, em comparação ao mesmo período de 2018, de acordo com a expectativa dos lojistas que trabalham nos segmentos mais procurados, como o de doces e embalagens. Os estoques estão abastecidos e os comerciantes estão na expectativa. “Para quem é do ramo de doces, o Cosme e Damião pode acarretar um aquecimento tímido quando comparado às vendas rotineiras segmento. Para eles, a data só tem similar na época da Páscoa”, diz o presidente da CDL, Luiz Vieira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 3 =