Comerciantes estimam aumento de 100% na venda de peixes

Raquel Morais –

A três da Sexta-Feira Santa, quando a tradição católica restringe o consumo da carne vermelha, comerciantes comemoram as vendas de peixe e frutos do mar em Niterói. As peixarias do tradicional Mercado São Pedro, na Ponta da Areia, estimam aumento nas vendas em 70%. E quem está fora do polo pesqueiro aposta em novidades para atrair clientes, caso do delivery, serviço oferecido gratuitamente por uma peixaria de Icaraí.

No Catolicismo, a Quaresma compreende o período entre a quarta-feira de cinzas e Sexta-Feira da Paixão. Porém, na semana que antecede a Sexta-Feira Santa o consumo de peixes é ainda maior. O diretor da Associação dos Comerciantes e Amigos do Mercado São Pedro, Attílio Guglielmo, explicou que as peixarias do maior centro de distribuição de pescado do Rio de Janeiro estimam aumento recorde nas vendas e, para dar conta da demanda, o estabelecimento está funcionando com horário especial: hoje, das 6h às 18h, amanhã e quinta, das 5h às 19h, sexta, das 5h às 14h, sábado, das 6h às 16h, e domingo, das 6h às 15h.

Atílio ainda explicou que o tíquete médio de gasto por pessoa está entre R$ 50 e R$ 60 e a previsão é de venda de 120 toneladas de peixe nessa semana. Os mais procurados são a corvina, cujo quilo varia entre R$ 15 e R$ 20, a anchova, que custa entre R$ 14 e R$ 21, e o camarão, que custa de R$ 25 a R$ 50, dependendo do tamanho.

E abusando de originalidade o, empresário Nelson Batista, dono da Peixaria Icaraí, na Zona Sul, recebe pedidos pelo telefone e faz a entrega gratuitamente em diversos bairros. Basta ligar e pedir o peixe da preferência. “É uma comodidade que oferecemos e as pessoas gostam”, explicou. Ele atende os bairros de Icaraí, Ingá, Charitas, São Francisco, Santa Rosa e Vital Brazil. E na Semana Santa, a expectativa de aumento nas vendas é 100%, principalmente para os filés de peixe como o salmão, que estão sendo vendidos por R$ 76 o quilo e de pescada, que custam R$ 49. O camarão grande também está na lista de pedidos e é vendido por R$ 49 o de tamanho grande; além de peixes mais em conta, como o pargo, que custa R$ 18,90, e o namorado, que custa R$ 38.

E como falar de Sexta-Feira Santa e não lembrar do bacalhau? Ele sempre abrilhantou as mesas, mas em muitos lares deixou de ser a estrela da festa e foi substituído por outros pescados. O bolinho de bacalhau do Caneco Gelado do Mario, no Centro de Niterói, é exemplo disso. Ele ainda é muito procurado pelos niteroienses para não deixar de ter o bacalhau, em outra versão, na mesa. O quilo está sendo vendido por R$ 80. “Mantive o preço do ano passado para tentar manter as vendas”, resumiu Mario Martins.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *