Comerciantes da Cantareira reclamam de ações da Prefeitura

Wellington Serrano –

Os comerciantes da Cantareira, em São Domingos, que tiveram suas cadeiras retiradas durante ação de fiscalização da Prefeitura na noite de ontem (16), trabalham com a incerteza se conseguirão manter o emprego de cerca de 100 garçons. Sem a estrutura de antes, o movimento da Praça Cantareira, onde ficam instalados, é fraco. E as vendas despencaram, segundo eles.

“Não posso ficar pagando os altos impostos se não consigo vender. Tenho 10 funcionários que agora correm o risco de ficarem desempregados. Pagamos nossos alvarás e registros não trabalhamos improvisados, por isso exigimos nossos direitos”, desabafou o proprietário da Adega do Bacalhau, Everton Machado.

No Bar do Renato da Cantareira, os clientes estavam sentados no chão.

“Como pode isso? O que acontece é que os moradores do Condomínio By Gragoatá reclamaram do funk que toca aqui quando os policiais vão embora e a culpa acaba sendo nossa, que trabalhamos e garantimos empregos. Agir desta forma é mais fácil para a prefeitura”, lamentou Renato.

No Bar Mãe D’Água, o proprietário, Alessandro Silva, disse que a condição do trabalho limitado restringe a quantidade de produtos que pode vender. Antes, tinha investido até na armação de tendas, que abrigavam as pessoas que esperavam ônibus em dias de muito sol ou chuva.

“Vendo bem menos. Não tem cabimento trabalhar com produto perecível dessa forma. Já estou cadastrado, mas a prefeitura causou um transtorno na vida de todos nós. Semana passada levei uma multa de quase sete mil reais”, disse o comerciante.

Há 30 anos na Praça Cantareira, a ambulante Marilene Barbosa Souza também tem medo de ter a barraca apreendida. Ela contou que tem que trabalhar ainda de madrugada e assim cria os filhos.

“A Prefeitura nos cadastrou no microempreendedor, mas até hoje não nos deu a licença para trabalhar de forma correta. Se tem gente que trabalha com isso aqui por que não posso? O direito tem que ser igual para todos”, disse ela.

Segundo a subsecretária de Operações da Secretaria de Ordem Pública (Seop), Iris Milena, muitas denúncias, inclusive do Ministério Público, pedem a organização do local.

“Desde o início de julho a praça é alvo de operações da Postura, Guarda (Municipal), policiais do 12º BPM e do Niterói Presente e da NitTrans. Estamos aqui até as duas horas da manhã e com essa atuação já conseguimos zerar as várias denúncias de som alto que tínhamos na nossa central”, declarou.

One thought on “Comerciantes da Cantareira reclamam de ações da Prefeitura

  • 19 de dezembro de 2020 em 18:00
    Permalink

    Breve notícia (19 de dezembro de 2020):
    O Bar do Renato da Cantareira vai fechar.
    Renato vai vender o bar.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte − 3 =