Combate à pandemia é a prioridade de Eduardo Paes

O prefeito eleito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (DEM), disse que a prioridade dele no terceiro mandado à frente da Prefeitura do Rio, será o combate à pandemia da Covid-19. Paes quer pedir ao governo federal a liberação, para a capital, de até 450 mil testes para identificar a presença do novo coronavírus entre os mais de 6 milhões de testes disponíveis no Ministério da Saúde. O prefeito eleito já determinou que o futuro secretário municipal de saúde, o médico sanitarista e pesquisador Daniel Soranz, designado por ele na semana passada, procure o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, para garantir a testagem na população, logo no início da nova administração.

A primeira reunião do dia de Paes será com Soranz para começar a definir o esquema para o aumento da testagem na capital.

“O governo federal tem nesse momento uma quantidade de testes muito grande. A gente quer trazer, pelo menos de 400 mil a 450 mil testes”, disse hoje cedo na porta da sua casa na zona sul do Rio.

Ainda no combate à pandemia, o prefeito eleito vai trabalhar a reabertura dos leitos tanto municipais como estaduais e federais.

“Tem leito em (hospital de) Acari. Tem leito na rede federal. Para isso o Daniel já vai começar a se articular, inclusive com o ministro da Saúde. Enfim, tratar da pandemia como ela deve ser tratada com atenção e com zelo, permitindo que o índice de letalidade da cidade o Rio de Janeiro possa reduzir drasticamente, apontou, acrescentando, que a recuperação da rede de saúde do município também é prioridade.

A pandemia vai ser prioridade e a recuperação da nossa estrutura de saúde, principalmente, as clínicas da família”.

Transporte – Paes, reconheceu que o transporte público lotado é uma dificuldade nesse momento de pandemia e disse não ter dúvida de que o serviço está muito ruim na cidade do Rio. “O BRT está sucateado. Uma parte da cidade está sem ônibus, se olhar para a zona oeste, o pessoal não tem ônibus mais. Transporte público, por mais que se melhore, vai ter sempre ali um espaço de aglomeração”, disse

Para o prefeito eleito, o importante agora, é que identificar medidas de distanciamento social no combate à pandemia, que sejam praticáveis e efetivas pela população.

“Não adianta pedir coisas para a população que muitas vezes a gente sabe que ela não vai cumprir. Não vamos colocar do dia para noite uma quantidade de BRTs que faça com que o espaçamento exista”, completou.

Hospital de Campanha – A transferência do Hospital de Campanha do Riocentro, na Zona Oeste, para o Governo Estadual, conforme foi proposto pelo governador em exercício Cláudio Castro (PSC) ainda é uma questão em aberto. Paes contou que ontem o governador foi a sua casa para cumprimentá-lo pela vitória, mas não conversou sobre este assunto.

“Vou analisar isso. Eu acho que em princípio não tinha necessidade do Hospital de Campanha. Tem uma quantidade de leitos tão grande no Rio inutilizados. Vamos ativar estes leitos, botar para funcionar. Agora, não tomei nenhuma decisão com relação ao Hospital de campanha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez + dezenove =