Com medalhas inéditas e recorde, Brasil tem dia mais vitorioso nas Paralimpíadas

A segunda-feira (13) foi um dia repleto de conquistas para o Brasil nas Paralimpíadas do Rio de Janeiro. Os atletas brasileiros ganharam 11 medalhas, sendo três de ouro, seis de prata e duas de bronze. Os destaques do dia foram as medalhas inéditas de Israel Stroh no tênis de mesa classe 7 e nas duplas mistas da bocha BC3, com Antonio Leme, o Tó, e Evelyn de Oliveira, além do recorde paralímpico de Alessandro Silva no lançamento do disco F11.

Primeiro atleta na história do Brasil a chegar em uma final individual do tênis de mesa, Israel Stroh perdeu na decisão para William John Bayley, número 1 do mundo da categoria, por 3 sets a 1, com parciais 11/9, 5/11, 11/9 e 11/4. O brasileiro chegou a vencer o britânico na primeira rodada do torneio, porém não conseguiu repetir o feito e ficou com a medalha de prata.

A outra medalha inédita do Brasil foi dourada. Nas duplas mistas da bocha na categoria BC3 – para atletas com severas limitações de coordenação nos braços, nas pernas e no tronco – Antonio Leme, o Tó, e Evelyn de Oliveira, além de Evani Soares (reserva), venceram a seleção da Coreia do Sul por 5 a 2 e subiram ao lugar mais alto do pódio.

No lançamento do disco na classe F11, para cegos, Alessandro Silva fez história ao levar a medalha de ouro com direito a recorde paralímpico, com a marca de 43,06m. Com o resultado, o atleta manteve a liderança do ranking mundial. A medalha de prata ficou com o italiano Oney Tapia (40,89m) e o bronze ficou com o espanhol David Casinos Sierra (38,58m).

A natação rendeu quatro medalhas para o Brasil nesta segunda-feira. Andre Brasil foi bronze nos 100m borboleta e ganhou sua primeira medalha no Rio 2016. Talisson Glock também levou bronze, nos 200m medley SM6, beneficiado pela desclassificação do colombiano Nelson Corzo. Joana Silva foi prata nos 50m livre S5 e Daniel Dias fez história ao ganhar o ouro no 50m livre S5 masculino e conquistar sua 20ª medalha paralímpica, a 12ª dourada.

No atletismo, os brasileiros também ganharam quatro medalhas. Além do ouro de Alessandro Silva no lançamento do disco, o Brasil somou três pratas: uma com Fabio Bordignon, nos 200m rasos T35, uma com Rodrigo Parreira, no salto em distância T36, e outra com a equipe do revezamento 4x100m masculino T42-47, formada por Renato Cruz, Yohansson Nascimento, Petrúcio Ferreira e Alan Fonteles.

Antes do ouro nas duplas mistas BC3 da bocha, o Brasil levou a medalha de prata na categoria BC4, perdendo a final para a equipe da Eslováquia por 4 a 2. Apesar de a competição ser mista, o time brasileiro foi formado somente por homens, com os irmãos Marcelo e Eliseu dos Santos, além de Dirceu Pinto na reserva.

O desempenho dos atletas brasileiros nesta segunda-feira manteve o Brasil na quinta colocação do quadro geral de medalhas, com nove medalhas de ouro, 17 de prata e nove de bronze. A China segue na liderança, com 50 ouros, 40 pratas e 28 bronzes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 + 12 =