Com apenas 12 anos, skatista de Niterói mira Tóquio 2020

Quem vê Virginia Fortes Águas sentada no sofá quieta, mexendo no celular, pode acreditar que ela é uma menina tímida comum, mas quando ela sobe em um skate, o céu é o limite. Natural de Niterói, em 2018, aos 12 anos, ela ficou entre as três melhores do Brasil, na modalidade street feminino, conseguindo assim uma vaga para seleção brasileira. Mas este foi só o primeiro passo, agora ela começa a treinar ainda mais forte para conseguir ir a Tóquio, nas Olimpíadas de 2020.

De acordo com sua mãe, Rachel da Silva Cavalcanti, a história de Virginia no skate começoucedo, quando ela tinha apenas quatro anos, mas foi há seis anos que ela começou a treinar e competir. A primeira competição foi um intercolegial em Volta Redonda, onde tudo começou, na época competiu com meninos, porque não havia meninas da sua idade na competição. “Agradeço todo dia ao Igor (técnico) por não ter desistido de nós. Ela desde nova se mostrou muito interessada em esportes, então apostamos nela. Cada conquista dela estamos lá, gritando freneticamente e se tudo der certo também em Tóquio”, contou Rachel.

A vaga para a seleção saiu este mês, ao fim da Oi STU Open 2018 competição que aconteceu no Rio de Janeiro, no último dia 20. Mesmo com apenas 12 anos, a niteroiense já carrega um peso no currículo, como o bicampeonato estadual e agora, o sonho de ser uma das primeiras skatistas a participar da Olimpíada. “Nunca imaginei que chegaria a seleção, é difícil de imaginar ainda mais as Olimpíadas. Será a primeira vez que skate estará nos jogos olímpicos”, contou Virginia.

Moradora do Engenho do Mato, Virginia está terminando o 7º ano do ensino fundamental e quando não está estudando, ela treina diariamente nas pistas Wave Rock, no skatepark de São Francisco e na pista do Horto do Fonseca. Para o técnico Carlos Igor Carvalho, em 2019 ela vai ter que fazer o dobro para conseguir se manter na seleção brasileira, mas acredita no potencial da jovem atleta.

“Tem que treinar mais e aumentar sempre o nível para conseguir [chegar as Olimpíadas]. Eu sempre acreditei no nível dela, mas principalmente no potencial porque ela chegou e aprendeu tudo muito rápido. Vamos batalhar por 2020”, prometeu Igor, que lembrou que Virginia ainda busca patrocínio, que os custos das viagens são altos para a família dela.

“Quem quiser ajudar essa história, é só entrar em contato com a gente aqui na Wave Rock ou pelo instagram (@virginiafortesaguas)”, completou. Apesar da busca pela vaga olímpica só em janeiro do ano que vem, dezembro ainda tem uma última competição para jovem atleta de Niterói. Nove de dezembro acontecemo brasileiro de skate.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *