Com aglomerações, Hospital Modular de Nova Iguaçu é inaugurado

Atrasos, metade da capacidade e aglomeração. Estas três palavras resumem o evento de inauguração do Hospital Modular de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. A unidade de saúde, pronta desde junho de 2020, com custo de R$ 50 milhões aos cofres públicos, teve diversos adiamentos até que finalmente estivesse à disposição da população.

No pior momento da pandemia da covid-19 no Brasil, a abertura de uma unidade de saúde, referência para tratamento da doença, contrasta com uma aglomeração com cerca de 200 pessoas na cerimônia, que contou com a presença do governador em exercício Cláudio Castro, entre outras autoridades. O Governo do Estado ainda não se pronunciou sobre o fato.

“Inauguramos esse hospital. Esse hospital que, eu não tenho dúvida, ainda que tenha feito parte de um tempo de acusações, era um hospital pra ser preparado e depois retirado. Era um hospital que custaria mais de R$ 60 milhões pra colocar, e depois mais de 20 pra ser retirado”, afirmou o governador em exercício.

O hospital deve receber seus primeiros pacientes ao longo deste sábado (3). A unidade tem 300 leitos de capacidade instalada, mas abrirá com apenas 150 leitos funcionais. Destes, serão 60 unidades de terapia intensiva (UTIs) e 90 de enfermaria. De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde (SES) esta é a primeira fase de funcionamento.

‘Castrofolia’

O governador em exercício Cláudio Castro teve controvérsias recentes envolvendo aglomerações. Em meio à implementação de novas medidas restritivas, ele comemorou o aniversário com uma festa no distrito de Itaipava, em Petrópolis. Também, recentemente, vazou um vídeo em que Castro aparece num pagode.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × 4 =