Clube do Choro volta a Sala Carlos Couto

O Clube do Choro volta a Sala Carlos Couto, anexa ao Teatro Municipal de Niterói, retorna no próximo dia 22, a partir das 20h. Esta edição do Clube fará uma homenagem ao eterno Poeta da Vila, com o espetáculo “Noel da Vila, do Samba e do Choro”.

Considerado um dos mais importantes artistas da história da música popular brasileira, o compositor, cantor e violonista brasileiro Noel Medeiros Rosa nasceu no bairro de Vila Isabel, Rio de janeiro, no dia 11 de dezembro de 1910. Muito cedo aprendeu a tocar violão e bandolim. Em 1930, ingressou na Faculdade Nacional de Medicina, mas, depois de dois anos, abandonou o curso, por já estar envolvido com a música e a boemia. Formou, junto com os músicos Almirante, Braguinha, Alvinho e Henrique Brito, o conjunto Bando de Tangarás.

Entre os anos 1930 e 1937, compôs mais de 300 músicas, entre sambas, marchinhas e canções. Entre suas músicas destacam-se “Com Que Roupa”, seu primeiro sucesso, “Conversa de Botequim”, “Feitiço da Vila” e “Fita Amarela”. Em 1934, casou-se com Lindaura, moça da alta sociedade, mas tinha várias amantes e passava noites pelos cabarés do bairro da Lapa, no Rio de Janeiro, cantando, bebendo e fumando. Acometido de tuberculose, foi para Belo Horizonte para tratamento de saúde. Na volta para o Rio de Janeiro, achando-se curado, volta à vida boêmia. Veio a falecer no dia 4 de maio de 1937.

Noel Rosa foi homenageado em filmes e peças de teatro. Em 2010, a Escola de Samba Unidos da Vila Isabel, apresentou o enredo do carnaval com o samba Noel: A presença do Poeta da Vila, de autoria de Martinho da Vila. Entre os intérpretes de seus sambas estão Aracy de Almeida, Francisco Alves e Mário Reis. Mestres da Música Popular Brasileira, como Chico Buarque de Holanda e Paulinho da Viola, fazem questão de realçar a influência que Noel Rosa teve em suas músicas.

A música niteroiense sempre foi motivo de orgulho para a cidade, que sempre possuiu notória vocação para cultivar o choro, revelar e abrigar grandes músicos e compositores deste gênero. O Clube do Choro de Niterói é um movimento criado com a ideia de incentivar a disseminação deste que é considerado o primeiro gênero musical urbano brasileiro. Nomes como Carlinhos Leite e Jonas do Cavaquinho representaram a cidade no cenário internacional do choro ao participarem da formação original do Conjunto Época de Ouro ao lado de Jacob do Bandolim.

Sua fundação ocorreu em 28 de janeiro de 2013, com a presença dos músicos Paulinho Bandolim (bandolim), Leo Fernandes (violão de 7 cordas), Felipe Reis (violão), Diogo Barreto (pandeiro), Phelipe Ornellas (cavaquinho), Eduardo Jones (cavaquinho), Marcílio Lopes (bandolim), Wellington Krepke Duarte (violão de 7 cordas), Denise Coimbra (violão).

Fundou o grupo de choro Café Brasil com o qual lançou o disco “Em Terra de Araribóia” em 2013. Representou o Brasil no “HIFA 2007” (Harare International Festival of Arts) no Zimbabue com o duo Focando em Cordas. Participou do projeto “Turunas Cariocas” em Petrolândia-PE, terra natal do violonista João Pernambuco. Venceu o concurso “Jovens Bambas do Velho Samba” em 2010, 2013 e 2014 acompanhando os cantores Maria Menezes, Inácio Rios e Anderson Vaz respectivamente. Em 2009 passou a integrar a Ala de Compositores da Estação Primeira de Mangueira onde venceu o concurso de samba-enredo nos anos de 2010, 2015 e 2016.

Apaixonado por choro e samba, segue tocando seu cavaquinho desde 1982 e já tocou com vários músicos, tais como: Aecio Flavio, Mario Pereira, Otaviano Pitanga, Luiz Roberto, Sivuca, Paulo Moura, Zé da Velha, Silverio Pontes, Nelson Sargento, Monarco, etc… Fundou o grupo Cia do Choro. Parceiro de Nelson Sargento – Diz Qui Tá e Canta Meu Povo (inéditas). Tocou no carro de som da Portela, no 1º ensaio técnico do Sambódromo e na Noite das Campeãs em 1984. Participou do embrião do Clube do Choro de Niterói em 2013, na Cantareira.

Integrante do Grupo Café Brasil, que lançou em 2013 o cd “Em terra de Araribóia”, com participações de Ronaldo do Bandolim, Silvério Pontes, entre outros grandes nomes do choro, contendo ainda texto de Zé Paulo Becker. Foi integrante do Trio de Couro e Cordas, com o qual participou de duas turnês pela Noruega. Com o Duo Focando em Cordas representou o Brasil no HIFA, festival internacional de artes no Zimbabue, África.
Acompanha atualmente cantores da nova geração do samba, como Mingo Silva, André da Mata e João Martins. Participou de alguns projetos de samba, onde acompanhou artistas como Luiz Carlos da Vila, Diogo Nogueira, Monarco e Almir Guineto.

Aos 18 conheceu o músico Silvério Pontes, que lhe apresentou ao choro. Apresentou-se no Democráticos, tradicional casa da Lapa, com Marcos Sacramento, Zé da Velha e Silvério Pontes. Acompanhou diversos sambistas como Monarco, Sombrinha, Wanderlei Monteiro e Luiza Dionizio, com quem participou dos programa Som Brasil em homenagem ao cantor e compositor Arlindo Cruz. Atualmente se apresenta em importantes casas noturnas do Rio de Janeiro integrando o grupo dos cantores Taís Macedo e Roberta de Recife, entre outros.

A classificação etária é livre, a entrada é gratuita e a Sala Carlos Couto fica na Rua XV de Novembro, 35 no Centro. Mais informações pelo (21) 2620-1624.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 − dois =