Cláudio Lins faz homenagem a Chico Buarque no show CHICOTEATRO

Uma homenagem que mistura teatro e atuação. Essa é a proposta de CHICOTEATRO, espetáculo que acontece nesta quarta-feira (14), às 17 horas, no Centro Cultural João Nogueira, o Imperator, no Méier, na Zona Norte do Rio. O responsável por cantar as músicas de Chico Buarque, e ainda atuar durante o show, é o ator e cantor Cláudio Lins.

Em conversa com A Tribuna, Cláudio comenta como Chico fez parte de sua vivência não apenas como pessoa, mas também foi tema de outros espetáculos.

“Chico Buarque faz parte da minha vida desde sempre. Tenho lembranças dele desde quando era garoto. Aliás, minhas primeiras recordações musicais de uma forma geral foram de canções do Chico. Ele foi uma figura muito presente na minha educação musical. Além disso, tive a oportunidade de participar da “Ópera do Malandro”, onde minha mãe (Lucinha Lins) também participa”, conta o artista.

A respeito da relação entre Chico Buarque e a família, ele recorda uma cena do filme “Os Saltimbancos Trapalhões”, de 1981, onde a personagem Karina, vivida por Lucinha, aparece ensaiando a música “História de Uma Gata”. Nesta cena, Ivan Lins, que era marido dela à época, ensaiando em um piano. Cláudio explica que a participação do pai foi por acaso.

“Essa aparição dele na cena do filme foi por acaso. O pianista escalado para fazer a cena faltou no dia da gravação. Só que, por coincidência, meu pai estava nos bastidores e tinha um piano de verdade no cenário. Ele falou que podia participar se não tivesse problema. A equipe de produção topou e teve essa rápida aparição dele. Estava barbudão naquela época”, conta às gargalhadas.

Participação no Pop Star motivou a focar na carreira de músico

Cláudio revela que a participação dele, em 2017, no programa Pop Star, da TV Globo, foi uma espécie de divisor de águas na carreira dele. Embora ele sempre trabalhasse em ambas as áreas, ele reconhece que preferiu dar um foco maior ao lado cantor e instrumentista.

Ainda em relação à área musical, Cláudio explica que acha “curioso” ter um timbre tão parecido com o do pai, mesmo sendo barítono enquanto Ivan Lins é tenor. Outra coisa que ele explica é sobre a diferença de comportamento entre os pais:

“Meu pai é mais tímido, na dele. Minha mãe já é mais solta, extrovertida. Acredito que no cotidiano eu seja mais parecido com o meu pai, porque sou mais na minha. Só que no palco eu me solto demais. Creio que, neste quesito, eu tenha saído mais minha mãe. Aliás é curioso como muitos falam da semelhança entre minha voz com a do meu pai. Nunca foi uma questão trabalhada. Quando a gente canta junto, é possível perceber uma diferença, pois ele é tenor e eu, barítono. Mas quando cada um canta separado, parece que é a mesma pessoa. Confesso que não sei explicar isso acontece”, admite.

Expectativa para receber a 2ª dose da vacina e torcida pela retomada dos shows com público

Aos 49 anos de idade, Cláudio recebeu a primeira dose da vacina em junho e receberá a dose final em setembro. Ele vê com expectativa positiva a retomada do setor cultural com a presença de público, mesmo que de forma restrita por causa da pandemia.

“Eu estou no palco desde os meus onze anos de idade. É um lugar onde me sinto muito confortável. E com a vacinação essa expectativa é enorme, pois a gente vê que o público quer sair de casa, voltar ao teatro, ver os show de forma presencial. Cada semana tem um pouco mais de gente e esperamos que ninguém precise passar por mais um momento tão ruim como o atual”, finaliza Cláudio.

Serviço

Show: CHICOTEATRO

Dia: 14/07/2021 – quarta-feira

Horário: 17 horas

Local: Centro Cultural João Nogueira

Endereço: Rua Dias da Cruz, 170, Méier

FICHA TÉCNICA:

Claudio Lins: concepção artística, roteiro e voz

Heberth Souza: arranjos adicionais e piano

Claudia Elizeu: partituras e arranjos

Maria Braga: produção

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.