Cinco policiais civis são presos por extorsão

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da 7ª Promotoria de Investigação Penal da 2ª Central de Inquéritos de Niterói-São Gonçalo, denunciou e obteve na Justiça a decretação da Prisão Preventiva dos cinco policiais civis que extorquiam suspeitos na 77ª DP (Icaraí), na Zona Sul de Niterói.

Segundo a denúncia, encaminhada à 2ª Vara Criminal de Niterói no último dia 24, os policiais abordavam e conduziam cidadãos suspeitos à delegacia, onde os submetiam a humilhações, ameaças e constrangimentos para conseguir dinheiro em troca até de liberdade, já que a longa permanência das vítimas nas delegacias, sem direito à comunicação, tornou-se uma marca do grupo, de acordo com a Justiça. Ainda segundo o MP, em 2010 os policiais extorquiram um empresário que supostamente comercializava remédios de forma ilícita. Eles mantiveram o empresário incomunicável por sete horas na delegacia e, com uso de arma de fogo, ameaçaram sua integridade física. Também fizeram insinuações quanto aos prejuízos que seriam causados à sua imagem de empresário, através da exposição em jornais de grande circulação, e que sua residência seria alvo de um Mandado de Busca e Apreensão. O empresário foi inicialmente constrangido a efetuar um pagamento no valor de R$ 15 mil, que acabou sendo negociado e reduzido a R$ 2.500, pagos em dinheiro após saque efetuado no mesmo bairro.

A denúncia cita extorsão semelhante junto a outro empresário, que supostamente negociaria anabolizantes. Os cinco denunciados por associação criminosa e extorsão são Rodrigo Lopes Ribeiro de Almeida, Webster Barreto da Silva, Bruno Abreu Gondim, Anderson Pinheiro Rios e Cláudio Gomes Arruda, este último o mentor dos crimes, que orientou, estimulou e deu o suporte logístico aos demais. O grupo também seria suspeito por outros casos, ainda em apuração.

Operação Voo Livre já havia prendido outro por estelionato
No último dia 25, outro policial civil já havia sido preso por conta da Operação Voo Livre. Fábio Augusto de Melo Xavier foi preso numa residência em São Gonçalo por agentes da Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Segurança do Rio e o Ministério Público (MP) durante operação para desarticular uma quadrilha de estelionatários de veículos que atuava no eixo Rio-Goiás-Distrito Federal, fraudando seguradoras e locadoras. Carros de luxo e motos foram apreendidos.

A ação teve por objetivo o cumprimento de 34 mandados judiciais. Outros acusados foram presos em Teresópolis, na Região Serrana, e outros dois estão foragidos. No trabalho investigativo, foi descoberto que o núcleo de fraudes da quadrilha recolhia documentos perdidos e utilizava os dados para confecção de documentos fraudulentos. Em seguida, com a documentação falsa, adquiriam ou alugavam veículos em locadoras de automóveis em vários estados e transferiam os veículos para os chamados “laranjas” da organização criminosa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *