Cidade incentiva produção agrícola familiar

A Secretaria Municipal de Agricultura, Abastecimento e Pesca de Itaboraí, em parceria com a Secretaria Especial de Agricultura Familiar e Desenvolvimento Agrário (SEAD), órgão ligado à Casa Civil promoveu na manhã de ontem, no Esporte Clube Comercial, no Centro, uma palestra sobre o Selo de Identificação da Participação da Agricultura Familiar (Sipaf) para os agricultores do município.

Aproximadamente 40 agricultores compareceram ao encontro e puderam tirar dúvidas e saber mais a respeito do selo, conhecido por poucos no município, mas de grande valia para os produtores e consumidores. O Sipaf identifica os produtos que tenham participação majoritária da agricultura familiar. Além de identificar a produção do setor junto ao consumidor, promove a inclusão econômica e social dos agricultores, gerando mais empregos e renda no campo.

Presente ao evento, o prefeito de Itaboraí, Dr. Sadinoel Souza, destacou a importância do selo e o retorno da distribuição dos gêneros alimentícios da Agricultura Familiar para a alimentação escolar.

“Uma das prioridades desta gestão é comprar os alimentos dos produtores rurais que preenchem os requisitos necessários para fazer parte da Agricultura Familiar no município. Só compraremos de outros produtores se não tiver o alimento necessário ou se bater a meta de R$ 20 mil anuais por produtor”, frisou o prefeito.

A delegada federal do Desenvolvimento Agrário do Rio de Janeiro, Danielle Barros, explicou como funciona o Sipaf. Os agricultores presentes e portadores da Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP), requisito principal para a venda de alimentos da Agricultura Familiar e aquisição do selo, puderam preencher a ficha de cadastro. Quem não pôde realizar o cadastro, por algum motivo ou pendência, basta acessar o site do antigo Ministério do Desenvolvimento Agrário ou comparecer à Secretaria Municipal de Agricultura, Abastecimento e Pesca para buscar informações ou preencher a ficha de cadastro, que será encaminhada para a SEAD.

“O prazo de emissão é de aproximadamente 60 dias, onde o agricultor recebe o certificado e a arte do Sipaf, que poderá ser utilizada em divulgação livre. E ainda tem o seu nome e alimentos produzidos divulgados no Diário Oficial da União. Constatamos que Itaboraí quase não tem produtores com o selo e isso é uma realidade que queremos mudar. A agricultura é um caminho para o fortalecimento do município”, disse Danielle.

O primeiro a preencher a ficha de cadastro, o agricultor rural Alcir Antônio Coração, de 76 anos e morador de Pachecos, era só alegria com a nova aquisição. Desde 1965 trabalhando na terra e produzindo alimentos, atualmente ele fornece alimentos para as escolas do município.

“Por um bom tempo eu fiquei desacreditado com a agricultura no município, mas com a Agricultura Familiar, podendo vender para as escolas do município, eu voltei com mais vontade. Eu e mais 13 agricultores do município conseguimos firmar contrato para vender nossos alimentos também para Maricá. A partir de agosto também vamos fornecer para a Alimentação Escolar do município vizinho e o nosso objetivo é expandir para outros municípios do Estado. O selo será de suma importância para isto, pois vamos poder identificar a qualidade dos nossos alimentos”, disse Alcir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 + dezessete =