Chaveiro agora é profissão reconhecida em Niterói

Quem nunca precisou ser socorrido por um chaveiro? Fazer a chave de casa que foi perdida, abrir a porta do carro, trocar o segredo de um cofre, entre outros serviços. A profissão é necessária, mas em Niterói ainda não era regulamentada. Graças a um projeto de lei do Vereador licenciado e Secretário de Esporte, Gallo, aprovado pela Câmara de Vereadores, agora a categoria será reconhecida e poderá, até mesmo, melhorar o serviço no município.

“É uma luta muito antiga, temos pelos menos 30 anos de tentativa de regulamentação. Para a nossa classe isso é de uma importância muito grande. São famílias que precisam dessa garantia, dessa segurança de trabalhar licenciado. É uma vitória que não tem tamanho”, comemora o presidente da Associação dos Chaveiros, Márcio Luiz Teixeira, que trabalha há 12 anos na área, e lembrou que, depois de tantos anos de luta, só foi possível conquistar porque o Gallo, e os vereadores acolheram o projeto.

Gallo quer agilizar o processo para que eles recebam o alvará de funcionamento o mais rápido possível. “Vou pedir a Câmara para enviar ao executivo e o prefeito sancionar isso até, no máximo, no sábado (19). Com isso sai a regulamentação para que eles saibam aonde vão se cadastrar para receber a autorização de funcionamento. O mais importante é dar dignidade, trabalhando como serviço essencial, com tranquilidade. Vamos gerar emprego e ordenar as bancas com a padronização”, lembra Gallo que também explica que, agora, a categoria, além da banca, também poderá ter uma espécie de Towner para se locomover com o equipamento e fazer atendimentos onde forem solicitados.

O secretário lembra que os chaveiros acabam perdendo trabalhos por não terem a regulamentação.

“Na construção de um prédio, por exemplo, você precisa de um chaveiro para fazer a instalação, e eles não podem ir porque não podem emitir nota fiscal. Então a construtora não pode contratá-los”, explica Gallo.

Para Márcio, o mais importante de tudo é ter a tranquilidade de trabalho e profissionalização.

“A maioria dos chaveiros são de banca, nós não tínhamos uma tranquilidade de trabalho, não conseguímos nos regularizar. Então essa vitória é motivo de muita alegria. É um marco pra gente em questão de trabalho, de garantia, de padronização. Agora a categoria é mais sólida, pode ser mais profissionalizante e com isso oferecer um serviço de muito mais qualidade para a cidade. Impede de acontecer como em alguns lugares, onde a loja de materiais de construção estão colocando uma máquina para cortar chave e se dizem chaveiros. Isso nos atrapalha muito. E tudo foi graças ao apoio que tivemos do Gallo e dos vereadores”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × um =