Três ônibus são incendiados e Túnel Charitas-Cafubá fechado por mais de duas horas

Tiroteio, três ônibus queimados, fornecimento de energia cortado e muito pânico, tudo aconteceu nesta sexta-feira (31) em Charitas, na Zona Sul de Niterói. Por conta da morte de dois suspeitos durante uma operação na Comunidade do Preventório, manifestantes incendiaram ônibus e interditaram o Túnel Charitas-Cafubá por mais de duas horas. Muitas pessoas que chegavam de catamarã no bairro ficaram acoados com medo dentro da estação. Devido aos bloqueios, o transitou deu um nó no início da noite em Niterói. A região segue ocupada por dezenas de homens da Polícia Militar.

De acordo com a Polícia Militar, por volta das 17h30min, dezenas de moradores desceram as ladeiras do Preventório e ocuparam a Avenida Prefeito Silvio Picanço. Dois ônibus foram incendiados próximo a estação do BHLS enquanto um terceiro foi incendiado perto da entrada principal da comunidade. Moradores gritavam palavra de ordem contra a Polícia e acusavam os militares de ter matado um adolescente. Quem chegava na estação das barcas em Charitas ficou no meio dessa confusão.

“Estava saindo das barcas quando tudo começou, fiquei aqui até agora [19 horas] porque estava com medo, não tinha como sair. Depois que os manifestantes fugiram, começou um intenso tiroteio quando a PM chegou”, contou uma mulher que não quis se identificar.

O incêndio atingiu os cabos de transmissão de energia, o que fez o bairro ficar às escuras. Por volta das 18h30min, a luz retornou apenas no túnel, que foi reaberto pela Polícia minutos depois, mas apenas uma moto passou, porque moradores começaram a jogar garrafas e pedaços de madeira em quem passava. Por conta disso, homens do 12º BPM (Niterói) ocuparam a comunidade e houve nova troca de tiros. O túnel só foi reaberto por completo às 19h30min.

Homens do Batalhão de Choque foram chamados para dar apoio aos militares de Niterói. Pelo menos sete viaturas da especializada foram deslocadas para manter a ordem na região. Tanto a comunidade, quanto o entorno ficarão ocupados por tempo indeterminado.

Muitas pessoas estavam com medo e confusas por conta da situação. Pela falta de luz, muitos sequer se arriscavam a passar pela calçada em frente ao Preventório, preferiam ficar parados observando a movimentação dos policiais. Mas quem se arriscava, corria com medo de bala perdida.
O Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro (Setrerj) confirmou que foram incendiados dois coletivos da Viação Ingá e um da Expresso Miramar, próximo ao túnel Charitas-Cafubá, além de um carro da Viação 1001, que foi apedrejado, mas o motorista conseguiu sair com o veículo do local antes de incendiarem o mesmo.

“Como os ônibus não são segurados para esse tipo de ocorrência, o prejuízo de uma ação dessa natureza é arcado pelas empresas operadoras, e, indiretamente, pela população, através do repasse no valor das passagens. Um único ônibus modelo tradicional, como os incendiados hoje, custa aproximadamente meio milhão de reais”, esclareceu em nota o sindicato.

Mortes durante a manhã
Dois homens morreram durante uma operação no Preventório, segundo a PM, ambos tinham envolvimento com o tráfico de drogas. De acordo com o batalhão da cidade, por volta das 11 horas os militares foram recebidos a tiros enquanto patrulhavam a comunidade. Após o confronto os corpos foram encontrados. Com eles foram apreendidos duas pistolas, material entorpecente e radiotransmissor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *