Cem dias com foco na saúde

A prefeita de Quissamã, Fátima Pacheco, e seu vice Marcelo Batista, acompanhados da equipe de trabalho (secretários e coordenadores), participaram de uma coletiva, quando falaram sobre as dificuldades encontradas, os desafios e os avanços da atual gestão nos primeiros 100 dias de governo.

Fátima destacou a importância do diálogo com a população e os servidores, as parcerias com outros órgãos e o esforço para a adequação de gastos. “Conseguimos retomar parcerias na área de Saúde para exames, abastecimento da farmácia com medicamentos, cirurgias e tratamentos fora do município; benefícios estudantis (bolsas e transporte universitário); reabrimos diversos setores do Hospital Municipal, como Centro Cirúrgico e Maternidade; manutenção da frota oficial, com compra de peças; melhoramos as estradas vicinais e garantimos a patrulha agrícola”, disse, acrescentando, que, o maior desafio do governo foi resgatar o crédito da Prefeitura de Quissamã sem precisar fechar postos de saúde e escolas.

Fátima ponderou que ao assumir herdou uma dívida de R$ 93 milhões. “Nossa tarefa é árdua, mas não desanimamos. Estamos chamando os fornecedores, auditando os contratos, e aqueles que têm legalidade já começam a ser resolvidos. Isso é fundamental para qualquer governo avançar. Estamos mantendo a oferta dos mesmos serviços que antes eram mantidos com um orçamento de R$ 250 milhões, contra a previsão atual de R$ 165 milhões”, declarou.

A prefeita lembrou os R$ 6 milhões conseguidos, através de emendas, para serem investidos na Saúde, que vão possibilitar a ampliação da rede básica de atendimento. “Também através da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), vamos ampliar a rede coletora de esgotos, hoje com capacidade estourada. Antes mesmo de tomar posse, eu e Marcelo estivemos em Brasília e conseguimos recuperar um convênio de R$ 8 milhões que estava quase perdido”, frisou.

A política de geração de trabalho e renda também foi lembrada pela prefeita, que falou sobre o Complexo Logístico de Barra do Furado. “Não é um projeto que vai dar retorno imediato. Depois de um encontro com o prefeito de Campos, Rafael Diniz, ainda durante a transição do governo, agora estamos em diálogo com o Inea, para tratar das licenças que perderam prazo, e a possibilidade de criação de um novo EIA-Rima. Tivemos várias reuniões na secretaria de Portos, em Brasília, e com a equipe técnica, no Rio de Janeiro. Apostamos neste projeto de construção de um estaleiro offshore. É uma área estratégica, cujas obras estão paradas há mais de dois anos e foram investidos mais de R$ 100 milhões”.

Já sobre o turismo como atividade fomentadora de empregos, Fátima ressaltou que o potencial do município (turismo histórico, étnico, esportivo e ambiental) começa a ser aproveitado a partir da absorção de mão de obra local. “Trabalhamos articulados com todas as secretarias para encontrar novos caminhos de sustentabilidade. O nosso patrimônio arquitetônico precisa de recuperação para atrair cada vez mais visitantes. Estamos investindo em atividades esportivas e cursos de qualificação voltadas para o jovem”, finalizou.

Ações
O vice-prefeito e secretário municipal de Obras, Marcelo Batista, lembrou durante a coletiva, as ações que o município vem promovendo, principalmente na área de serviços públicos. “Estamos aguardando o processo licitatório de várias obras de saneamento básico, previstas em parceria com o governo federal, que vão gerar emprego com a mão de obra local. Já realizamos mutirões de limpeza e reparos estruturais em prédios municipais”, destacou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *