Católicos celebram o feriado de Nossa Senhora Aparecida

A igreja católica comemora hoje (12) o Dia de Nossa Senhora Aparecida, a Padroeira do Brasil. E nas igrejas de
São Gonçalo e de Araruama, na Região dos Lagos, a programação será intensa, desde alvorada de fogos, missa, carreata, benção nos carros e almoço, por exemplo. Na paróquia do Patronato, na Rua Doutor Francisco Portela,762, em São Gonçalo, a alvorada de fogos está marcada para às 6h. As missas serão às 7h, 8h30min, 10h, 12h, 14h,
16h e 19h, sendo essa a Santa Missa.

Terá uma carreata às 17h e a benção será nos veículos. Ao meio dia, a festividade será em forma de um almoço,
onde será servida uma feijoada, até às 15h. O prato custará R$ 20 e os fiéis poderão comer no local ou levar para
casa, no sistema take-away, ou seja, leve e pague. Também terá um sorteio da imagem de Nossa Senhora Aparecida com a doação de R$ 5 por pessoa.

Para a festividade, a paróquia recomenda o uso obrigatório da máscara facial e que cada pessoa leve sua própria garrafa d’água e álcool. Na Paróquia Nossa Senhora Aparecida, em Bananeiras (Araruama), na Região dos Lagos, as missas serão celebradas às 7h, 9h, 11h (presidida pelo Sacerdote Claudenildo da Silva) e às 19h. A igreja
fica na Rodovia Amaral Peixoto, KM 90.

HISTÓRIA DA SANTA


A história de Nossa Senhora da Conceição Aparecida tem seu início em meados de 1717, quando chegou a notícia
de que o Conde de Assumar, D.Pedro de Almeida e Portugal, Governador da Província de São Paulo e Minas Gerais, iria passar pela Vila de Guaratinguetá, a caminho de Vila Rica, hoje cidade de Ouro Preto – MG. João Alves lançou
a rede nas águas e apanhou o corpo de uma imagem de Nossa Senhora da Conceição, sem a cabeça. Lançou novamente a rede e apanhou a cabeça da mesma imagem. Daí em diante, os peixes chegaram em abundância para os três humildes pescadores. Durante 15 anos seguidos, a imagem ficou com a família de Felipe Pedroso, que a levou para casa, onde as pessoas da vizinhança se reuniam para rezar.

A devoção foi crescendo no meio do povo e muitas graças foram alcançadas por aqueles que rezavam diante da imagem. A fama dos poderes extraordinários de Nossa Senhora foi se espalhando pelas regiões do Brasil. A família construiu um oratório, que logo tornou-se pequeno. Por volta de 1734, o Vigário de Guaratinguetá construiu uma Capela no alto do Morro dos Coqueiros, que foi aberta à visitação pública, em 26 de julho de 1745. Com o aumento do número de fiéis, em 1834, foi iniciada a construção de uma igreja maior (atual Basílica Velha).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze + dois =