Casos suspeitos de coronavírus em Niterói são descartados

Após a confirmação do primeiro caso de coronavírus no Brasil, o número de pessoas oficialmente tratadas como suspeitas de ter o vírus no país é de 132, segundo o secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo. Na última sexta-feira (21), era apenas um caso.

O Ministério da Saúde recebeu as notificações dos estados até a tarde de ontem, mas não analisou todos.

“Esse número não é definitivo. É muito maior que 132. Ficamos com 213 notificações ainda não analisadas. Elas podem ser todas consideradas suspeitas ou apenas uma parte, mas dá para a gente avaliar que, na verdade, temos perto de 300 casos suspeitos”, disse Gabbardo.

Em Niterói, o homem e a mulher, vindos da Itália e da Alemanha, que estavam internados com suspeita, já foram liberados. Os exames deram negativos para o coronavírus. Os dois ficaram em isolamento respiratório até a conclusão dos exames. A Fundação Municipal de Saúde soltou nota dizendo que “monitora os casos suspeitos de coronavírus junto à Secretaria de Estado, e que possui um plano de contingência para o coronavírus”.

Segundo João Gabbardo, esse aumento se explica em virtude do crescimento em países com fluxo migratório intenso com o Brasil, e que têm pessoas com o vírus. Um exemplo é o primeiro caso confirmado no Brasil. O homem de 61 anos não esteve na China, que concentra a maioria dos casos no mundo, e sim na Itália. Após a confirmação desse caso, pessoas com histórico de viagem à Itália, à França e à Alemanha e que apresentem febre somada a um sintoma respiratório também são tratadas como suspeitas de ter o coronavírus.

O ministério tem usado como critérios de determinação de casos suspeitos: ter viajado para um dos 16 países da Ásia, Europa e Oriente Médio com casos da doença; não ter viajado, mas ter tido contato com esses viajantes ou ter tido contato com o caso confirmado no Brasil. Em todas as hipóteses, a pessoa é considerada como um caso suspeito se apresentar febre somada a um sintoma respiratório.

Os 16 países considerados na definição de casos suspeitos são: Austrália, China, Coreia do Sul, Coreia do Norte, Camboja, Filipinas, Japão, Malásia, Vietnã, Singapura, Tailândia, Itália, Alemanha, França, Irã e Emirados Árabes Unidos. O secretário-executivo do ministério reforçou ainda a importância das medidas de prevenção para reduzir os riscos de contaminação da doença. A lavagem constante das mãos e evitar levá-las ao rosto e, principalmente, à boca; o uso de álcool em gel para esterilização das mãos e o não compartilhamento de utensílios de uso pessoal, como talheres, copos e travesseiros, entre outros.

Álcool em gel

A suspeita de casos de coronavírus investigados pela Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro (SES) fez crescer a procura de álcool em gel e máscaras nas farmácias de Niterói. A cidade da Região Metropolitana também já esteve na lista dos municípios analisados pelo Ministério
da Saúde, que descartou todos os casos suspeitos.

Os estabelecimentos comerciais já percebem aumento nas vendas desses itens de 70% a 90% e tem farmácia que já está com estoque esgotado.

Em uma farmácia no Centro de Niterói, as vendas do álcool em gel aumentaram 70% enquanto as máscaras aumentaram 90%. A farmacêutica
Nathália Oliveira disse que percebe que os clientes estão comprando em maior quantidade para estocarem os itens em casa. O álcool e as máscaras já acabaram os estoques e tem somente o que está na prateleira para venda. O higienizador custa entre R$ 7,99 e R$ 19,99 dependendo do tamanho. Já a máscara está sendo vendida por R$ 3,99 com cinco unidades e os pacotes com 50 máscaras, que custava R$ 8,99, já esgotaram.

“Percebo uma preocupação das pessoas. O tempo todo tem gente ligando e perguntando os preços e se temos uma quantidade boa para venda”, explicou o vendedor Nelsimar Araújo.

Em outra drogaria, também no Centro, a vendedora Camila Mesquita também disse que o estabelecimento está sem opções de álcool em gel e somente um tipo, pequeno para bolsa de 60ml, está disponível para venda por R$ 8,99. “As máscaras acabaram e não sabemos a previsão para nova remessa”, resumiu. Na Drogaria São Paulo, no mesmo bairro, acabaram todos os dois itens e somente na filial Apesar de estar fora da relação do Governo Estadual, a Prefeitura de Nova Friburgo emitiu uma nota oficial na manhã de ontem afirmando que investiga, desde a última quarta (26), um caso suspeito de coronavírus em um hospital da rede privada da cidade da Região Serrana. De acordo com o comunicado a paciente é moradora de Nova Friburgo e realizou um cruzeiro com destino à Argentina no dia 16 deste mês e retornou ao Brasil essa semana. Segundo o hospital a paciente passa bem, sem agravo do quadro, com previsão de ser liberada hoje.

Ela receberá todas as orientações de precaução de contato e no tendimento foram adotadas todas as medidas preventivas para transmissão por gotículas, coletou amostras e realizou testes para vírus respiratórios comuns. O infectologista Edimilson Migowski explicou que não há motivo para alarme e é preciso redobrar a atenção com a higiene das mãos.


“O que tem que ser feito é redobrar a atenção com a higiene das mãos e evitar contato com pessoas que estejam com quadros infecciosos respiratórios. É fundamental lavar as mãos com sabonete e o uso
do álcool em gel quando isso não for possível. Além disso é importante proteger a boca e o nariz ao espirrar”, frisou o especialista.

CONTINGÊNCIA

A SES informou que no mês passado, a SES elaborou e definiu um plano de contingência para enfrentar um possível surto de Coronavírus no Estado do Rio. Ele é capaz de provocar epidemias e pode evoluir a pandemias. O plano emergencial tem a intenção de sistematizar ações e procedimentos de responsabilidade da esfera estadual de governo. Ficou decidido que a SES vai apoiar em caráter complementar os gestores municipais no combate a um possível surto de Coronavírus, precavendo-se e organizando o enfrentamento de tudo aquilo que sair da normalidade. Ainda de acordo com a nota, seguindo a recomendação do Ministério da Saúde, de acordo com o Nível de alerta da OMS, a SES começou a preparação do plano de contingência em funcionamento no Nível Zero. Os demais níveis de acionamento (um, dois e três) são organizados de acordo com parâmetros epidemiológicos, como números de casos.

Na Região Metropolitana o nível de Ativação 2 terá três hospitais disponíveis: Hospital Estadual Alberto Torres (Heat), no Colubandê em São Gonçalo, no Hospital Universitário Antônio Pedro (Huap) no Centro de Niterói e o Hospital Estadual João Batista Caffraro no Centro de Itaboraí.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete − catorze =