Casos e óbitos diminuem como consequência da vacinação em São Gonçalo

A imunização da população começou a dar resultado na cidade de São Gonçalo. Desde abril, a taxa de ocupação dos leitos de UTI e enfermaria, casos confirmados e óbitos pela doença, está diminuindo. A cidade alcançou 67,31% do público vacinável, imunizado com a 20,42% com as duas doses ou dose única. Ao todo, São Gonçalo tem 851.886 pessoas aptas a se vacinarem, ou seja, o público acima de 18 anos. As quedas de abril a junho são de 45,21% nos casos confirmados, 52% nos óbitos, 42,47% nos casos de internações nas enfermarias e 10,71% nos casos de internações nos CTIs.

A cidade está com primeira dose da vacina suspensa desde a terça-feira (13) aguardando a chegada de novas doses para retomar a imunização. O município segue aplicando somente a segunda dose da Astrazeneca.

Os números de casos registrados apontam os efeitos da vacinação nos gonçalenses. Em abril deste ano, foram contabilizados 8.155 casos da covid-19 na cidade. Em maio foram 5.988; em junho, 4.468 e, até o dia 13 de julho, 1.117. Em relação aos óbitos foram 396 em abril, 328 em maio, 190 em junho e 56 em julho – também até o dia 13 deste mês. As internações despencaram de 299 nas enfermarias em abril para 29 até o dia 12 de julho. Em maio, foram 259 internações nas enfermarias e outras 172 em junho. Já nos CTIs, foram 112 em abril e, agora, 21 em julho – também até o dia 12. Em maio foram 103; em junho, 100.

As quedas de abril a junho são de 45,21% nos casos confirmados, 52% nos óbitos, 42,47% nos casos de internações nas enfermarias e 10,71% nos casos de internações nos CTIs. Em relação às internações em geral, a queda é de 33,81%. A tendência de diminuição dos números segue em julho, já que os valores são bem inferiores à metade do mês de junho.

VACINÔMETRO CLASSIFICA O NÍVEL DE CONTAMINAÇÃO NA CIDADE

Atualmente, São Gonçalo está na fase “Amarelo 1”, com baixo risco de contaminação do coronavírus. Mesmo com a vacinação adiantada e os números em queda, a população deve manter as medidas sanitárias de isolamento social, higienização das mãos e uso de máscaras, já que a imunização só acontece após 14 dias da aplicação da segunda dose da vacina e não evita o contágio, mas a forma mais grave da doença.

A Secretaria de Saúde prepara outras estratégias para garantir o acesso de toda a população ao processo de imunização, inclusive com atendimento itinerante, proposta prevista no planejamento desde o início da vacinação. A Secretaria de Assistência Social está atendendo à população em situação de rua, com o Consultório na Rua.

A Prefeitura também vem fazendo campanhas para incentivar ainda mais a vacinação e divulga, diariamente, o calendário e pontos de atendimento em suas redes sociais, em serviço de SMS, sirenes da Defesa Civil e carros de som. Agentes de saúde também orientam os moradores quanto à importância da vacinação nas mais de 70 unidades espalhadas pelo município e nas visitas de atendimento domiciliar, inclusive da segunda dose. A Secretaria de Assistência Social está fazendo a campanha “Comunidade sem covid” com equipes nos bairros em ações de conscientização quanto à prevenção e importância da vacinação. A vacinação acontece em doze diferentes locais, dois com drive thru.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.