Caso Flordelis: interrogatório de filho suspeito por morte de pastor é adiado

Nesta quinta-feira (19) o réu Flávio dos Santos Rodrigues, um dos acusados pela morte do pastor Anderson do Carmo em 16 de junho de 2019 e filho da deputada federal Flordelis dos Santos (PSD), seria interrogado por videoconferência mas o advogado dele informou que não aconteceu o procedimento. O pedido tinha sido feito pela juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce ao Tribunal de Justiça do Rio para ser autorizada a realizar o tipo de interrogatório às 15h de ontem.

Flávio Rodrigues está preso e o interrogatório é uma pendência da primeira fase da investigação. Mas por conta do ato normativo do presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ), de suspensão das audiências e sessões de julgamento de 1º e 2º graus por 60 dias, o interrogatório entrou nessa ordem. O desembargador Cláudio de Mello Tavares suspendeu as audiências por 60 dias por causa da pandemia do novo coronavírus. Na época, de acordo com nota, os prazos dos processos físicos serão suspensos por 14 dias, período que pode ser prorrogados, se necessário.

“Assim, os advogados e as partes não precisarão ir aos fóruns nos próximos dias. Em relação aos processos eletrônicos, os prazos correrão normalmente”, frisou.

Flávio é um dos acusados de atirar no pastor e após o interrogatório a juíza vai determinar se ele irá a júri popular. Entre outubro e novembro do ano passado as testemunhas de Flávio foram ouvidas., inclusive da própria mãe, que foi ouvida em fevereiro passado. No início do mês foi marcado o interrogatório na 3º Vara Criminal de Niterói presencial, mas a pandemia do coronavírus impossibilitou a escuta.

No último dia 5, o irmão de Flávio, Lucas César Santos, prestou depoimentos na sede da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo, Maricá e Itaboraí (DHNSG), no Centro de Niterói. Na ocasião o delegado responsável pelo caso, Dr. Allan Duarte, esclareceu alguns pontos sobre a participação dele no homicídio.

O CASO

O pastor Anderson era casado com a deputada federal Flordelis (PSD) e foi morto na garagem da casa da família em 16 de junho de 2019. Inicialmente a investigação apontava para latrocínio (roubo seguida de morte), mas a investigação comprovou que não foi o caso. No dia 14 de agosto os filhos do casal, Flávio e Lucas foram indiciados pelo crime. Flávio teria confessado que foi ele quem disparou contra o pai na noite do crime, confissão esta questionada pelos advogados de defesa. Já Lucas teria admitido à polícia que adquiriu a arma para o irmão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *