Caso Flordelis: advogados se atacam antes de julgamento

Vitor Dávila

O clima esquentou na entrada da Sala de Audiências do Fórum de Niterói antes do início do julgamento de cinco réus pela morte do pastor Anderson do Carmo. A advogada Janira Rocha, que defende Flordelis, acusou o líder religioso de abusos sexuais. Angelo Máximo, que representa a família do pastor, rebateu.

“Outra coisa diz respeito aí perfil do próprio pastor. Quem ele realmente era na casa. Que tipo de práticas em relação às mulheres da casa. Queremos demonstrar a que interesses servem esconder essas questões relacionadas aos filhos, aos abusos sexuais, psicológicos e patrimoniais que foram praticados contra as mulheres daquela casa, inclusive Flordelis”, disse Janira.

Na sequência da fala da advogada, Angelo Máximo chegou ao fórum. Após ouvir as declarações de Janira, ele rebateu as acusações de abusos sexuais e chamou a tese usada pela defesa da ex-deputada de “covarde”.

“Eu peguei o final das declarações da minha nobre colega em referência a abusos sexuais. Eu acho que isso é uma tese da mais covarde para se apresentar ao Tribunal do Júri, atacando a pessoa da vítima, que não está aqui para se defender”, rebateu Anderson.

Serão julgados nesta terça-feira (12) cinco réus pela morte de Anderson. São eles Adriano dos Santos Rodrigues, filho biológico de Flordelis; André Luiz de Oliveira e Carlos Ubiraci Francisco da Silva, filhos afetivos; o ex-policial militar Marcos Siqueira Costa e a esposa dele, Andrea Santos Maia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.