Caso Flordelis: Acusados têm pedidos de liberdade negados

Vítor d’Avila

Filhos biológicos da deputada Flordelis (PSD-RJ), Simone dos Santos Rodrigues e Adriano dos Santos Rodrigues tiveram pedido de liberdade negado pela juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce, da 3ª Vara Criminal de Niterói, em despacho assinado na quinta-feira (11), após encerramento da fase de instrução do processo. Ambos são réus por participação na morte do padrasto, o pastor Anderson do Carmo, em junho de 2019.

A defesa de Simone apresentou o pedido, alegando que a ré é portadora de enfermidade grave, mãe de criança menor de 5 anos de idade. Todavia, o pedido foi indeferido pela juíza, sob alegação de que os fundamentos que levaram à prisão preventiva de Simone permanecem inalterados e que ela tem recebido assistência médica adequada.

A juíza também oficiou à Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) para que Simone seja submetida constantemente a avaliações por oncologistas e dermatologistas com periodicidade mínima de três meses, para revisão e acompanhamento ambulatorial, conforme atestado, por necessidade médica.

Adriano também solicitou a liberdade, sob alegação de sua defesa que sua atuação teria se limitado apenas a servir como portador da carta supostamente escrita por Lucas, que depois se provou ser falsa. O pedido também foi negado, sob a justificativa de que há imputação da prática dos delitos de uso de documento falso e de associação criminosa para a prática de delitos inclusive de homicídio, de extrema gravidade.

Entretanto, foi aceita solicitação para que ele fosse transferido para unidade prisional mais próxima de sua família. Nearis oficiou à Seap com a observação de que ele não seja colocado em prisão onde estejam acautelados outros réus no processo.

Além disso, no mesmo despacho, a magistrada também rejeitou pedido de revogação da prisão da ré Andréa Santos Maia, esposa do ex-policial Marcos Siqueira Costa, que foi companheiro de cela de Lucas Cezar dos Santos de Souza e Flávio dos Santos Rodrigues. Estes últimos foram os primeiros presos, acusados pelo crime.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 + 16 =