Carreata percorre ruas de Niterói pedindo a retomada das aulas presenciais nas escolas da cidade

Um grupo, formado por donos de escolas, pais, e alunos da rede particular de Ensino Fundamental e Educação Infantil realizou, na manhã de hoje, uma carreata reivindicando a retomada das aulas presenciais em Niterói, que foi suspensa por determinação da Justiça.

A carreta começou por volta das 09 horas, saindo do bairro de São Francisco, e percorreu ruas de Icaraí e do Centro, mobilizando dezenas de participantes e dezenas de crianças, que portavam cartazes reivindicando o retorno das aulas. O movimento foi pacífico e sem incidentes, com respeito às normas de segurança e distanciamento por conta da pandemia.

O movimento começou na tarde de quinta-feira (dia 26), através das redes sociais, e grupos de whatsapp, logo após a queda da liminar que permitia o retorno imediato das aulas, no início da semana. A carreata passou em frente à Prefeitura a Câmara Municipal de Niterói.

 “Considero importante e fundamental o apoio da sociedade em se manifestar pela retomada das aulas presenciais. Nós, gestores educacionais, estamos desde abril envolvidos nesse movimento, que a cada dia ganha mais aliados. Importante frisar que o Ensino Híbrido (presencial e remoto) irá acontecer em respeito a garantia de ensino a todos.  Apoiamos a carreata, na certeza de que será um momento pacífico em busca do direito constitucional que as crianças têm à educação”, afirmou Anna Lydia Collares, diretora das escolas Maple Bear Niterói  e Estação do Aprender

“O Sinepe-RJ defende o imediato retorno às aulas de forma gradual e segura, obedecendo os protocolos sanitários. As escolas particulares fizeram o dever de casa e estão prontas. O movimento de protesto contra as escolas particulares fechadas é legítimo e tem nosso apoio”, disse Luiz Mansur, presidente do Sindicato das Escolas Particulares (Sinepe).

“Acho muito importante que a população como um todo reivindique o retorno das atividades escolares. As crianças são as únicas prejudicadas pela manutenção da proibição do funcionamento das escolas. Já está mais que comprovado por estudos em diversos países que as crianças tem um papel muito pequeno na transmissão do vírus. As crianças pegam dos pais e não os pais das crianças. Tudo em Niterói e Rio  está funcionando: bares, shoppings, restaurantes, shows acontecendo, casas de festas”, afirmou a pediatra e neonatologista Juliana Lobo Furiati.

Ela acrescentou que as escolas estavam retornando com todas as medidas de segurança e representa menor risco de propagação do vírus do que todos esses lugares que já estão funcionando. “A criança tem direito à educação. Tem direito a escola. Muitas crianças estão sofrendo com ansiedade, depressão, muitas estão mais agressivas, o número de suicídios de adolescentes aumentou, e Niterói insiste em manter nossas crianças longe da escola mas permite que todo o resto funcione. A educação é direito universal e tem que ser prioridade”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze + nove =