Carnes brancas, frutas e saladas são preferências na ceia

Raquel Morais –

Faltando poucos dias para o Natal uma pesquisa divulgada pela Associação Brasileira de Nutrologia (Abran) apontou os alimentos e bebidas preferidos para a época. A carne branca liderou o ranking como opção para 70% das pessoas, seguida de salada para 53%, água com 41% e vinho, com 38%. E quando o assunto é dinheiro, um levantamento feito pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) apontou que o consumidor deve gastar em média R$ 136,52 com os preparativos para a ceia, valor 18,68% menor que em 2016, cujos entrevistados pretendiam gastar R$ 167,90.

Segundo a empresa em relação aos alimentos favoritos do Natal, as carnes brancas foram lembradas por 70% das pessoas, seguidas por frutas, castanhas e nozes (62%), saladas (59%), farofa (58%), salpicão (53%), arroz (51%), carnes suínas, como leitão e pernil (38%), maionese (24%) e carne bovina (14%). Como sobremesa, doces e frutas serão consumidos por 45% dos pesquisados, seguidos por apenas doces, escolhidos por 34%, e apenas frutas, por 18%.

Já em relação às bebidas, mais de 50% das pessoas afirmaram consumir bebidas alcoólicas, 38% consomem vinho tinto, 36% bebem espumantes, 18% cerveja, 5% uísque e 3% vodca. Água vai ser consumida por 41%, 29% preferem o refrigerante e sucos naturais serão a opção de 23%.
Marcela Garriga, gerente de uma loja especializada em vinhos, o vinho tinto é muito procurado o ano todo. “Principalmente para festas de final de ano, o vinho tinto é um dos campeões de venda. As pessoas procuram muito para o consumo próprio ou para presentear alguém”, resumiu.

Já sobre os gastos com a ceia, a pesquisa da CNDL apontou que 73% dos entrevistados pretendem dividir as despesas da festa, compartilhando os custos entre os familiares (37%) ou estipulando que cada membro leve um tipo de prato ou bebida diferente (36%). Por outro lado, 15% garantem que apenas uma pessoa deverá arcar com todas as despesas dos festejos, sejam eles mesmos (9%) ou outro anfitrião (6%).

“Na minha casa têm duas coisas que não podem faltar: um bom pernil e as rabanadas. O restante faço bem simples, mas com muito amor e carinho para a minha família. A comida, na verdade, é só uma parte. O que vale mesmo é a família está reunida celebrando o nascimento de Jesus”, afirmou a doméstica Josefa Pereira, de 57 anos.

“Para evitar que uma data tão importante se transforme em dor de cabeça, é preciso ter planejado os gastos com todos os envolvidos nessa comemoração. A divisão de despesas é uma excelente estratégia, pois permite que as famílias deem a sua contribuição e impede que o gasto sobrecarregue o bolso de uma única pessoa. Além disso, vale pesquisas preços e planejar as compras. O ideal é sair de casa com uma lista para o consumidor não se perder entre tantas opções e acabar cedendo às compras impulsivas”, orientou o educador financeiro do SPC Brasil, José Vignoli.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *