CARNAVAL 2020 – Viradouro quer pescar o título do carnaval carioca

A Unidos do Viradouro será a segunda escola a desfilar na Marquês do Sapucaí no domingo de carnaval (23) com o enredo “Viradouro de Alma Lavada”. A vermelha e branca de Niterói vai cruzar a avenida contando as histórias das mulheres que ajudaram na construção do país: as Ganhadeiras de Itapuã. O enredo foi desenvolvido pelos carnavalescos Marcus Ferreira e Tarcísio Zanon que prometem uma sensação motivacional para o público que vai assistir o desfile da agremiação.

Ao todo vão desfilar 3.200 componentes divididos em 27 alas, além de seis alegorias que prometem arrancar suspiros na Passarela do Samba. No barracão da escola, na Cidade do Samba, os trabalhos não param e dos seis carros alegóricos, quatro já estão finalizados e dois estão em processos decorativos. Ao todo a Viradouro está com 85% do carnaval pronto. O carnavalesco Marcus Ferreira também contou que para adiantar todo o trabalho o barracão conta com 100 funcionários em diversas áreas. “Chegamos a 200 trabalhadores e é um trabalho muito grande. As fantasias estão em sua maioria prontas e tudo está muito lindo. Estamos predominando as cores quentes como vermelho, amarelo e laranja”, contou.

Os espelhos não poderiam deixar de aparecer no desfile da queridinha de Niterói assim como as plumas e um adereço chamado de barba de bode, que só é colhido em setembro. “Estamos usando esse capim para representar as escravas de ganho e será algo muito lindo. A escola é muito forte e o chão da Viradouro é muito quente. Estamos trabalhando incansavelmente e vamos fazer um desfile lindo com muita emoção”, completou Marcus.

O carnavalesco Tarcísio Zanon explicou que a agremiação vai cruzar a Marquês do Sapucaí com seis alegorias sendo o abre alas acoplado, três tripés e um tripé da comissão de frente. O abre alas ‘Prelúdio das Águas’ será enorme sendo o maior da história da escola com 50 metros de comprimento e 13 de altura. “Teremos movimento de água nesse carro com uma grande figura de Iemanjá. Esse carro conta a relação das mulheres Ganhadeiras com as águas de Itapuã e sobre a catada de redes. Elas ajudavam a puxar as redes e com isso tinham direito aos peixes mais baratos que elas comercializavam nas ruas”, contou.

Zanon ainda frisou que o enredo conta sobre a força da mulher e fala do empoderamento feminino e igualdade das mulheres do Brasil. “Falamos sobre igualdade, força e sobre as primeiras feministas do Brasil. É uma mensagem motivacional que as mulheres devem lutar pelo seu espaço assim como essas mulheres lutaram no passado. Toda mulher tem essa mesma força e no fundo todas as mulheres brasileiras são essas Ganhadeiras”, contou.

A rainha de bateria da Viradouro, Raissa Machado, está bem animada para encantar o público na avenida. “Já vivi várias fases na minha Viradouro. Já chorei, já sorri, já gritei. E sempre me dediquei muito. E mesmo faltando alguns meses para o carnaval, eu sigo a minha dieta, faço academia, mas tudo na medida. Além dos tratamentos estéticos semanais, que são os meus aliados. Temos uma comunidade forte e com muito trabalho entraremos para buscar o título”, contou a majestade que está na agremiação desde 2013.

O mestre da bateria, Ciça, está à frente da Furacão Vermelha e Branca de Niterói pelo segundo ano, após retorno para a agremiação, e também contou algumas surpresinhas de avenida que prometem deixar o público arrepiado. “Estou muito animado e aumentou a responsabilidade para superar o desfile do ano passado. A bateria vem com 300 ritmistas e vamos vir com uma ala de timbal, muitas paradinhas e uma grande surpresa”, contou.

SAMBA ENREDO

Viradouro de Alma Lavada

Compositores: Claudio Russo, Paulo César Feital, Diego Nicolau, Júlio Alves, Dadinho, Rildo Seixas, Manolo, Anderson Lemos e Carlinhos Fionda.

Levanta, preta, que o Sol tá na janela

Leva a gamela pro xaréu do pescador

A alforria se conquista com o ganho

E o balaio é do tamanho do suor do seu amor

Mainha, esses velhos areais

Onde nossas ancestrais acordavam as manhãs pra luta

Sentem cheiro de angelim

E a doçura do quindim

Da bica de Itapuã

Camará ganhou a cidade

O erê herdou liberdade

Canto das Marias, Baixa do Dendê

Chama a freguesia pro batuquejê

São elas, dos anjos e das marés

Crioulas do balangandã, ô iaiá

Ciranda de roda, na beira do mar

Ganhadeira que benze, vai pro terreiro sambar

Nas escadas da fé

É a voz da mulher!

Xangô ilumina a caminhada

A falange está formada, um coral cheio de amor

Kaô, o axé vem da Bahia

Nessa negra cantoria

Que Maria ensinou

Ó, mãe! Ensaboa, mãe!

Ensaboa pra depois quarar

Ora Yê Yê Oxum! Seu dourado tem axé

Faz o seu quilombo no Abaeté

Quem lava a alma dessa gente veste ouro

É Viradouro! É Viradouro!

FICHA TÉCNICA

Presidente
Marcelo Caliu Petrus Filho

Carnavalescos

Marcus Ferreira e Tarcísio Zanon

Direção de carnaval
Alex Fab e Dudu Falcão


Direção de harmonia
Mauro Amorim

Direção de bateria
Moacyr da Silva Pinto (Ciça)

Rainha de bateria
Raissa Machado


1º casal de mestre-sala e porta-bandeira
Ruth Alves e Julinho Nascimento

2º casal de mestre-sala e porta-bandeira
Amanda Poblete e Jeferson Souza

3º casal de mestre-sala e porta-bandeira

Diego e Gislaine

Responsável pela comissão de frente
Alex Neoral

Intérprete

Zé Paulo Sierra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *