CARNAVAL 2020 – Sossego promete muitos segredos de avenida em busca do título

A Acadêmicos do Sossego será a primeira escola a abrir os desfiles do sábado de carnaval (22 de fevereiro) pela Série A, defendendo o enredo “Os Tambores de Olokun”. A escola vai atravessar a Marquês de Sapucaí saudando as águas e o mar através de uma linda homenagem para a África e propondo uma reflexão sobre a ancestralidade.

De acordo com o presidente da agremiação, Hugo Júnior, o enredo celebra as raízes sagradas e personagens do cortejo negro que nasceu em Pernambuco, unindo o samba ao maracatu. Ao todo a queridinha do Largo da Batalha vai levar 2.100 componentes divididos em 24 alas e três carros alegóricos um tripé. “Já temos 80% das fantasias prontas e o trabalho no barracão estão entre 60% e 70% de execução e dentro do organograma; mesmo com toda a dificuldade que o carnaval do Rio de Janeiro passa previamente ajustado pela direção da escola”, contou.

A azul e branco de Niterói foi fundada em novembro de 1969 e promete impactar as pessoas com uma paleta de cores do fundo do mar. “A comunidade toda abraçou o projeto do carnaval 2020 e estamos muito integrados. Estamos muito empolgados com o desfile. Um grande destaque será a comissão de frente que promete impactar o público na arquibancada”, explicou Alexandre Dias, diretor de carnaval da Sossego.

Outra surpresa também foi prometida pelo mestre de bateria Laion Jorge que está responsável pelos 230 ritmistas da Sossego que vão ousar nos instrumentos, como por exemplo, alfaia, djembe, Agogo 2 Bocas, entre os básicos da bateria. “Vamos levar um conjunto de quatro paradinhas e o Maracatu pela primeira vez na Marquês de Sapucaí”, esclareceu. E quem está animada com essa batucada toda é a rainha de bateria Celi Costa, de 37 anos. “Treino o ano inteiro e cuido muito da minha alimentação para conseguir fazer bonito na avenida. Estou emocionada, nervosa e ansiosa para o desfile e estou me dedicando muito e vai ser tudo maravilhoso. Estou muito feliz”, contou a executiva.

SAMBA ENREDO

“Os Tambores de Olokun”

Compositores: Orlando Ambrósio, Diego Nicolau, Richard Valença, Renan Diniz, Jefferson Oliveira, Chaynne Santos, Jp Monteiro, Dudu Senna, Thiago Vaz, Professor Laranjo, Sérgio Joca e Mário da Vila Progresso

Ilu olokun

Sombrio senhor do mar

Ressoa seu tambor pra revelar

A vida mergulhou bem lá no fundo

No maior dos reinos desse mundo

Guarda nas profundezas, seus corais

Farda de correntezas naturais

Reina triunfante majestade

Nas frias águas da ancestralidade

Vem da áfrica pelo oceano

É fantástica a magia de lá

O batuque incorporou, é pernambucano

A cultura dessa gente a ecoar

E a pele negra feito estandarte

Foi pela cidade, meu maracatu

Feito poesia na voz do cantador

Cortejo para o rei nagô

Ê baque virado ô lanceiro real

Um lindo rosário vem nos abençoar

Gonguês e agbés tocaram em louvor

Chegaram no meu rio de janeiro

Ô gira saia, girou a secular tradição

No jubileu de ouro do meu pavilhão

É o ” povo da batalha” na imensidão do mar

Meu samba vai nas aguás da vitória

O infinito azul mareja meu olhar

Pra sossego fazer história

FICHA TÉCNICA

Presidente
Hugo Junior

Carnavalescos

Comissão de Carnavalescos

Direção de carnaval
Alexandre Dias


Direção de harmonia
Comissão de Harmonia

Direção de bateria
Laion Jorge

Rainha de bateria
Celi Costa


1º casal de mestre-sala e porta-bandeira
Marcinho Siqueira e Cristiane Caldas

2º casal de mestre-sala e porta-bandeira
Hugo Cesar e Anderson Morango

Responsável pela comissão de frente
Jardel Augusto Lemos

Intérprete

Nêgo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito + 4 =